Esquiadora que faturou medalha de ouro leva cachorro para o pódio nas Paralimpíadas [VIDEO]

0
656

Nesta quarta-feira (9), um cachorro subiu no topo do pódio dos Jogos Paralímpicos de Inverno, em Pequim, na China, ao lado de sua tutora, a paratleta austríaca Carina Edlinger.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Riley é cão-guia de Carina, que faturou a medalha de olho no esqui cross country ao lado de seu parceiro, Lorenz Lampl, que também participou da prova com ela.

É comum ver cães-guia dentro da comunidade paralímpica, uma vez que eles acompanham os atletas cegos e com baixa visão no dia a dia.

Em 2016, nos Jogos Olímpicos de Verão, uma remadora do Canadá chegou a subir ao pódio da Paralimpíada do Rio com seu cachorro. No entanto, muitos países restringem a entrada de animais, como o Japão, que barrou cães-guias nas Paralimpíadas de Tóquio.

Esquiadora que faturou medalha de ouro leva cachorro para o pódio nas Paralimpíadas [VIDEO]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com o portal Uol, nas Paralimpíadas de Inverno, esses companheiros caninos são ainda mais raros, uma vez que poucos deficientes visuais se classificam para as finais.

Ao contrário do atletismo, em que os guias correm ligados ao atleta paralímpico por uma cordinha, no esqui o guia vai na frente, com um comunicador, orientando o atleta, que vai atrás.

Vale salientar que atletas cegos e pessoas com deficiência visual parcial competem juntos em diversas modalidades.

A austríaca Lorenz é uma exceção. Com de 1,5% a 2% da visão, somente, ela é uma das atletas em Pequim com maior comprometimento visual, e depende de Riley para atividades do dia a dia. Assim, levar o cão-guia para a China era fundamental, o que exigiu que o IPC conseguisse um aval especial da China.

“Se meu cachorro não pudesse entrar na China, eu voaria diretamente para casa. Portanto, não foi a tarefa mais fácil para o Comitê Paralímpico [Internacional]. É meio complicado, mas ele me ajudou não apenas a encontrar meus caminhos, mas também emocionalmente nos últimos dias. Mesmo quando você tem um dia ruim, seu cachorro ainda vem até você e quer receber carinho. Então ele é mais do que ouro. Ninguém pode torcer ou gritar tanto por mim”, disse ela, depois de conquistar a medalha de ouro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: BNews
Fotos: Lintao Zhang

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.