Esse programa de programação para meninas em Gana está quebrando estereótipos

Regina Agyare não incluía inicialmente meninos em sua turma de programação. Mas depois de um estudante do sexo masculino expressar seu descontentamento ao ver “meninas sendo empoderadas”, ela avistou uma oportunidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agyare é a inteligência por trás do programa Tech Needs Girls, uma iniciativa lançada pela sua empresa de desenvolvimento de software, Soronko que oferece aulas semanais de tecnologia para estudantes em cima de uma mesquita em Accra, Gana.

Em uma favela da cidade, onde muitas meninas se casam jovens e não podem estudar, a classe fornece uma oportunidade para melhorar suas perspectivas acadêmicas e econômicas, informaram à CNN.

“Quando os pais estão orando [lá embaixo], estamos ensinando as meninas lá em cima”, explicou Agyare.

Embora a classe de 50 pessoas é predominantemente feminina, alguns meninos começaram a aparecer para se beneficiar da instrução. A inclusão de jovens ajuda a repensar os papéis de gênero.

Idéias semelhantes sobre os papéis de gênero podem ser em parte a culpa para a falta de mulheres americanas que trabalham em áreas relacionadas com o computador também.

Um estudo divulgado no mês passado pela Associação Americana de Mulheres Universitárias sugere que os EUA podem realmente estar indo na direção errada quando se trata de igualdade de gênero na tecnologia: Em 2013, as mulheres ocupavam apenas 26 por cento dos postos de trabalho de computação – uma queda significativa de 35 por cento em 1990.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É um problema que o presidente Obama está levando a sério. Sua administração lançou iniciativas – como a NASA / escoteiras, parceria dos EUA e do Departamento de Mulheres da Energia no programa STEM – destinado a obter mais meninas no caminho para as carreiras em ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

A lacuna de tecnologia de gênero não está sendo ignorada em Gana.

Agyare criou uma organização sem fins lucrativos local, a Achievers Gana. A organização está ajudando 250 meninas a continuarem a sua educação, oferecendo aulas como matemática, poesia, tecnologia e literatura.

Membros conservadores da comunidade se opuseram ao trabalho da Achievers de Gana, mas, depois de um líder dentro da mesquita defender a missão da organização, todo mundo está torcendo pelas meninas agora.

“Eu definitivamente sinto que lhes dei voz,” disse Agyare. “Eu me sinto como se estivesse lhes permitindo expressar-se e interagir com os outros… para eles, é importante ser ouvido.”

Fonte: The Huffington Post

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,764FãsCurtir
1,764,214SeguidoresSeguir
8,645SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram