Este povoado no Acre tem a economia baseada em troca – e dá muito certo

O Acre existe sim! O antropólogo Roberto Rezende foi matar a curiosidade e decidiu conhecer um pouco mais dos habitantes da reserva extrativista de Alto Juruá, próximo à fronteira com o Peru e a quase 600km de Rio Branco, a capital do Acre. O povoado tem economia baseada em troca.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Morando na reserva por seis meses, o pesquisador conviveu com comunidades baseadas em subsistência na cooperação entre familiares. De acordo com Roberto, “são relações de troca e ajuda: no período da colheita, por exemplo, um solicita ajuda do outro, e assim se estabelece uma espécie de dívida”. Foi exatamente esta a sua tese de doutorado na Unicamp, com base no trabalho de campo.

Foto: Apiwtxa
Foto: Apiwtxa

Leia nosso papo completo do antropólogo e a Revista Galileu:

Como as relações de troca nas comunidades acontecem?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Existiam alguns estudos em comunidades amazônicas que afirmavam que essas relações eram “desinteressadas”, mas isso não se aplica nesse caso: um homem, por exemplo, tem um roçado e ele precisa de ajuda, de mais trabalhadores. Então, ele pede ajuda ao seu irmão e ele sabe que está em dívida quando houver outra colheita do roçado. Mas as relações estabelecidas com os políticos não são muito diferentes: se o político te dá o que prometeu, ele é bom.  Isso tem uma aplicação sobre o assistencialismo e paternalismo.

Qual é o tipo de produção que existe na região?

Eles são em grande parte agricultores e há grupos de casas que se especializam em uma produção para a venda. Essas atividades são complementadas com caça e pesca.

Há muitas diferenças culturais?

Cada casa da comunidade tinha autonomia de decidir a produção: tinha gente que gostava de ter uma casa com “padrão de novela”, com sofá, estante: então, investiam tempo para produzir alimentos e vendê-los para comerciantes. Mas também tinha gente que queria comer bem e por isso dedicava mais tempo para caçar aves, pacas, porcos do mato, veados, macacos e jabutis.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

via

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,860,568SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

No verão, homem chama crianças da vizinhança para festa na piscina

O vovô Jailson reúne a criançada para um dia de festa na piscina da sua casa, com a cachorro-quente, sorvete, pipoca e muuuitos brinquedos

Ambulante ensina garoto a vender balas para ajudar sua mãe

“Se depender de mim eu vou fazer de tudo pra ajudar Ele...”

Pimeira embaixadora brasileira com síndrome de Down da L’Oréal Paris junta-se a nomes como Taís Araújo e Iza

Acreditar não é clichê, acreditar é ação. E não, não precisamos acreditar sozinhos!. Foi com essas palavras que Maria Júlia de Araújo Dias, a...

Voluntários se vestem de super-heróis para alegrar os dias em hospitais, asilos e abrigos

Um grupo de voluntários de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, se veste de personagens de histórias em quadrinhos e de filmes para...

Pela primeira vez robô é usado para retirar um ‘tumor inoperável’ de menina de 6 anos

De todos os avanços que a tecnologia pode trazer para as nossas vidas, talvez na área da saúde seja um dos mais importantes e...

Instagram