Após chuva, estrangeiros ajudam a limpar Mercado Central de BH

Uma forte chuva atingiu a capital mineira na última terça-feira (28), inundando dezenas de casas e edifícios, como o Mercado Central, fundado em 1929 e um dos principais pontos turísticos de Belo Horizonte.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Felizmente, a água da chuva não invadiu as lojas, se limitando ao espaço exterior do edifício.

Os diretores financeiros do Mercado Central, José Agostinho Oliveira Quadros e Ném ‘do Mercado’, afirmaram que estudam não cobrar o aluguel dos comerciantes que perderam suas mercadorias por conta do temporal.

Estrangeiros voluntariam ajudar limpeza Mercado Central BH

Eles comemoraram que os danos à estrutura do local tenham sido mínimos, graças a uma ação de prevenção feita há quatro meses. “Fizemos uma revisão completa do prédio. Só no telhado (16 mil metros quadrados), foram trocados 75 mil parafusos e 120 mil arrebites. No balanço final, haviam apenas quatro goteiras.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O lado de fora do Mercado não teve a mesma sorte: dezenas de lojinhas ficaram destruídas, sensibilizando três estrangeiros de diferentes partes do mundo.

Estrangeiros voluntariam ajudar limpeza Mercado Central BH

A chinesa Jocelyn Li, 25 anos, a porto-riquenha Nori Ortiz, 26 anos, e a norte-americana Jacqueline Daniel, 26 anos, se uniram ao brasileiro Matheus Barros, 21 anos, integrante do programa Jovens Com Uma Missão (JOCUM), para ajudar na limpeza da Rua Curitiba e dos entornos do Mercado Central.

“Recebemos mensagens nas redes sociais sobre o que havia acontecido. Conversamos e decidimos vir para cá, só para ajudar. Essas pessoas precisam de toda a ajuda que puder vir. Perderam muita coisa. As lojas precisam ser limpas e estamos aqui para isso”, conta Ortiz. O grupo chegou pela manhã e passou o dia auxiliando na limpeza.

Estrangeiros voluntariam ajudar limpeza Mercado Central BH

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O comerciante Anderson Oliveira da Silva, 43 anos, ficou surpreso ao receber ajuda. Não esperava. “Aceitei na hora. Toda ajuda é bem-vinda. Mas não é uma situação que se vê muito entre brasileiros. Sem dúvida, um exemplo”, afirma.

Isaac Jorge Vilela, ambulante de 41 anos, conta ter crescido nesses espaço. “Sou vendedor, assim como meus irmãos; foi aqui que crescemos, trabalhando, e olha, nunca vi nada igual ao que aconteceu aqui ontem”, diz. “Nossa loja aqui tem 15 anos e é a primeira vez que isso acontece.”

Solidariedade e resiliência

Esse não é um caso isolado. Há muitos outros atos de solidariedade na capital mineira frente ao rastro de destruição deixado pela chuva. Dois restaurantes fecharam para os clientes e passaram a atender exclusivamente as vítimas da chuva.

Um engenheiro civil também ofereceu seus serviços aos atingidos sem cobrar nada.

Há ainda exemplos de resiliência, como um grupo de moradores de Sabará, Região Metropolitana de Belo Horizonte, que retirou a lama de suas casas cantando e dançando.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Estado de Minas/Fotos: Álvaro Duarte/EM/DA Press

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,855,310SeguidoresSeguir
25,029SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Final de briga entre adolescentes comove internautas nas redes sociais

“Apertem as mãos, irmão. É o único jeito que me fará ir. Ele vai apertar a sua mão. Ofereça a mão de novo”, disse o jovem muçulmano que separou a briga.

Porque uma cervejaria quer que você beba melhor?

Lembro da primeira vez que vi a campanha “Heroes of the Night”, em que a cervejaria Heineken enaltece as pessoas que bebem de forma...

Alunas transformam óleo de cozinha em sabonete para os sanitários de sua escola

O óleo de cozinha pode causar grandes problemas à natureza, se descartado de maneira incorreta. Preocupadas com esse problema, as estudantes Quênia Costa de Carvalho, Gilvania dos...

Conheça mais e ajude o documentário “Quando sinto que já sei” a ser produzido

Em sua última semana no Catarse, o projeto do documentário “Quando Sinto Que já Sei” conta com o seu apoio para se concretizar e dar início...

Canal no YouTube mostra o empreendedorismo brasileiro sob uma perspectiva inovadora

A melhor forma de ensinar ou aprender qualquer coisa é com descontração e bom humor. É exatamente essa a proposta do canal de empreendedorismo...

Instagram

Após chuva, estrangeiros ajudam a limpar Mercado Central de BH 2