Estudante supera crise financeira abrindo delivery de comida vegetariana com apenas R$ 300, em SP

Ultimamente a gente tem se inspirado bastante com histórias de pessoas que do nada construíram algo muito sólido.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi assim que aconteceu com Maitê, que estava sem grana, sem ter como pagar a faculdade, cheia de dívidas, com problemas na família, início de depressão e deu a volta por cima abrindo um delivery de comida vegetariana e vegana com apenas R$ 300,00.

“A gente não tinha nada, nada!”, conta ela. Maitê trabalhava há quatro anos em uma empresa e estudava arquitetura numa faculdade particular em São Paulo. O valor da mensalidade aumentou e ela decidiu ir estudar em São João da Boa Vista, onde conseguiu uma bolsa de estudos.

Foto: Instagram @_saboreamoor

Maitê procurou emprego de ponta a ponta da cidade e não encontrou para nenhuma função. Teve então que trabalhar como freelancer ganhando R$ 400,00 por mês e as contas iam se acumulando.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A jovem entrou em processo depressivo e começou a cozinhar como forma de terapia. Ela e o namorado, Rafael, são vegetarianos e foi ele quem deu a ideia: “Por que nós não vendemos isso?”.

Foto: Instagram @_saboreamoor

Para dar início ao projeto, ela comprou vários doces na cidade do interior, que faz divisa com Minas Gerais e levou para vender em São Paulo. Com o dinheiro que arrecadou, guardou os R$ 300 para investir no negócio.

“E com esses 300 reais compramos embalagens e 20 pães. hahaha só isso! E inauguramos no dia 14 de março. Vendemos cerca de 18 lanches na primeira noite, um verdadeiro milagre”, relembra.

Olha a alegria deles com o sucesso:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sabor e Amor (@_saboreamoor) em

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pandemia mudou rumos do projeto

Neste mesmo dia em que ela e o namorado começaram a Sabor e Amor, o estado de São Paulo decretou o estado de emergência por causa da pandemia da Covid-19, e tudo mudou.

“Nesse mesmo dia, estourou a pandemia aqui na nossa cidade e fecharam as faculdades. Então, o que seria um trabalho de final de semana, decidimos abrir todos os dias”, contou.

Foto: Instagram @_saboreamoor

Maitê começou a diversificar os produtos e já conquistou uma clientela fiel.  “Não tínhamos noção do que Deus havia preparado pra nós através de cada um que faz isso acontecer diariamente”, disse.

Veja a história do negócio de Maitê e Rafael:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sabor e Amor (@_saboreamoor) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sabor e Amor (@_saboreamoor) em

“Nosso coração se encheu de alegria por pensar que nosso sonho está sendo realizado dia a dia”, finalizou.

[Nota da Redação]

Surpresa para menino que tentou comprar casa em parcelas de 50 reais:

selo conteúdo original

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,644,941SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria plataforma que pretende acabar de vez com a falta de doadores de sangue no Brasil

Dia 14 de junho é celebrado como o dia mundial da doação de sangue: um gesto simples que pode salvar milhões de vidas! Mas,...

Uber e PayPal dão descontos para quem usa metrô em São Paulo

A Uber e a PayPal se uniram para oferecer um desconto especial a todos os usuários do metrô de São Paulo, pelas próximas duas...

Estudantes nordestinos levam 59 das 75 medalhas na Olimpíada de História

O Nordeste é a região que mais conquistou medalhas na Olimpíada Nacional de História do Brasil.

Com técnica de edição genética, cientistas eliminam totalmente o HIV em ratos

Cada vez mais a Medicina nos impressiona e nos leva a ter mais esperança. A prova disso é que uma possível cura para o...

Escolas da Dinamarca ensinam empatia para crianças: desestímulo à competição

Em vez de ensinar o jovem a ser melhor que o colega, o currículo dinamarquês se concentra no desenvolvimento e aprimoramento das habilidades e talentos.

Instagram