Estudantes brasileiros criam inseticida natural capaz de combater a dengue e outras doenças

Em meio ao aumento de quase 90% nos casos de dengue, chikungunya e zika vírus, estudantes da Universidade de Brasília (UnB) desenvolveram um tipo de inseticida natural para eliminar o Aedes Aegypti – o mosquito transmissor dessas doenças.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A substância foi criada através de compostos de origem vegetal no Laboratório de Farmacognosia da universidade.

De acordo com Laila Espíndola, professora da Faculdade de Ciências da Saúde (FS) e pesquisadora do projeto “ArboControl”, as expectativas com o produto estão lá em cima.

“Esperamos, com este inseticida natural, nos livrarmos destes mosquitos resistentes que não morrem com os inseticidas sintéticos convencionais”, explicou.

inseticida natural da unb

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nos próximos dias, os pesquisadores devem realizar os primeiros testes de eficácia do inseticida e já utilizá-lo ainda este mês, a começar pelo Instituto Central de Ciências (ICC).

“Como iremos jogar o inseticida direto na água para matar ovo, larva e pupa, esperamos acabar com o ciclo do mosquito”, detalhou a professora Laila.

Ela explicou também que o projeto ArboControl vai monitorar por 3 semanas dezenas de fêmeas do Aedes aegypti no ICC.

pesquisadores da unb

No mês passado, 150 armadilhas foram instaladas no complexo para capturar os mosquitos. Cada uma delas está envolta de um composto natural que atrai o inseto, e simula um reservatório perfeito para as fêmeas colocarem seus ovos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Após a captura, tem início a aplicação do inseticida, que ocorrerá durante cinco semanas ininterruptas.

Com os resultados em mãos, será possível acompanhar o ciclo de eclosão dos ovos do inseto e analisar a eficácia do produto, que pode ficar mais forte caso os mosquitos sejam excessivamente resistentes.

dedetização do mosquito da dengue

“Nós instalamos as armadilhas nos dias 27 e 28 de janeiro e já iniciamos o monitoramento. Dependendo do número de mosquitos presos na armadilha, vamos saber a quantidade naquela região. Essa etapa é importante porque somente com as armadilhas podemos analisar a quantidade de mosquitos antes, durante e após a aplicação do nosso produto”, afirmou Laila.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por enquanto, a equipe envolvida não prevê o uso da armadilha e do inseticida em outros pontos da universidade. Nas próximas semanas, o foco será aplicar e monitorar os dados próximo ao complexo do Instituto Central de Ciências (ICC).

Como sabemos, o mosquito fêmea coloca os ovos em locais que podem acumular água, principalmente neste período de chuvas, como em tampas, calhas e ralos.

inseticida natural da unb

Durante a fase de reprodução, o mosquito faz a chamada ‘oviposição’, quando coloca os ovos em focos de água ideais. Depois de 2 dias ocorre a eclosão, com a saída da larva.

Ela passa por 4 ciclos completos até virar a ‘pupa’, que emerge como mosquito adulto até dois dias depois.

Levando em conta que todo o processo de reprodução requer água, o inseticida do ArboControl será aplicado justamente nela. A expectativa é eliminar ovos, larvas e pupas antes que estes atinjam a fase adulta.

Fonte: UnB
Fotos: Beto Monteiro/Ascom UnB

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Novo exame de sangue pode detectar retorno de câncer em pacientes já tratados

De acordo com um estudo publicado na revista científica “Science Translational Medicine”, um novo exame de sangue pode detectar tumores que começaram a crescer...

Vaquinha para idosa humilhada por morar em barraco de madeira tem meta atingida

A dona Maria de Fátima, 57 anos, não poderia esperar o tamanho da ajuda que receberia de todos vocês! Até a publicação desta matéria,...

A reação emocionante desta paciente idosa ao ganhar um presente de aniversário vai alegrar seu dia

O vídeo nos prova que as pequenas coisas da vida podem ser as mais significativas.

Indígenas produzem sandálias com látex da Amazônia e vendem pelo WhatsApp

Uma cooperativa informal de mulheres e homens indígenas encontrou uma maneira de aliar tecnologia e sustentabilidade para produzir sandálias orgânicas à base de látex...

Professora vai na casas dos alunos para conhecer mais da vida deles e ajudá-los a melhorar

Maria de Fátima Destro Arruda é professora na Escola Municipal de Ensino Fundamental “Lourides Dell Porto”, em Caieiras, São Paulo. Quando entrou para a escola...

Instagram

Estudantes brasileiros criam inseticida natural capaz de combater a dengue e outras doenças 2