Estudantes italianos criam máquina que faz capinhas para celulares com plástico reciclado

A “My ProMotion” é um tipo de máquina de vendas que transforma lixo plástico em capinhas para celulares. Ele foi criado por um grupo de estudantes italianos do ensino médio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mypromotion

Junto com a professora Daniela Russo, Marco Tomasello, Daniele Caputo, Vicenzo Virruso, Vittorio Maggiore e Toni Taormina desenvolveram uma impressora 3D que usa os resíduos plásticos como matéria-prima para a fabricação de capinhas personalizadas para celulares.

A máquina funciona assim: os resíduos plásticos são depositados em um reservatório, onde se transformam em pequenos pedaços. Em seguida, eles são derretidos e colocados em formas para criar cases de celular.

mypromotion2

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No momento, existe só uma máquina do tipo. Os estudantes estão atrás de patrocínio e apoio para conseguirem produzir mais máquinas de reciclagem e espalhá-las por pontos estratégicos das cidades.

Com informações do CICLOVIVO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,495,414SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Rapaz desempregado encontra jovem que lhe deu R$ 100 por engano no ônibus

Em um gesto de solidariedade, Jefferson Roberto Daniel, 24 anos, emprestou seu Bilhete Único a uma mulher que não tinha o cartão ou o...

Mulher faz agradecimento emocionante à namorada do seu ex-marido

Ela agradeceu a namorada do seu ex-marido por cuidar da sua filha quando a pequena está na companhia do pai.

Policial amamenta bebê encontrado em mata com o próprio peito e o salva da morte

A policial colombiana Luisa Urrea salvou um bebê jogado em uma mata em Tuluá, após receber o alerta de uma mulher que passava pelo...

Criado nos lixões, morador de rua entra na Universidade de Harvard

A vida, bem, na verdade a sobrevivência, sempre foi algo difícil para Justus Uwayesu. Durante o genocídio de 1994 contra os tutsis em Ruanda,...

Instagram