Estudantes se unem para reformar casa de aposentada em Porto Velho (RO)

Quando fiz minha faculdade (coincidentemente em Porto Velho, Rondônia também), sempre senti falta de vivências reais e que fizessem a diferença na vida das pessoas, e esses estudantes puderam fazer isso.

Poder vivenciar algo real e que signifique uma mudança efetiva para outras pessoa é algo que todas as faculdades poderiam proporcionar aos seus estudantes, pois certamente isso os transformará em pessoas melhores.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Tudo o que a dona Nair Castro, moradora de Porto Velho-RO, queria era ter um lar mais aconchegante para ela e sua família. Mãe de um menino autista, dificilmente ela conseguiria isso só com o dinheiro da aposentadoria da mãe dela – a única fonte de renda da família.

A casa não tinha banheiro, o piso era puro chão de terra, os móveis estavam caindo aos pedaços e a parte elétrica, hidráulica e estrutural colocava em risco a segurança e a saúde dos moradores.

estudantes mudaram a vida de aposentada

Mas, tudo isso mudou graças a um professor de arquitetura e seus alunos. Walter Netto e seus pupilos foram atrás de soluções para os problemas da casa da dona Nair.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Fizemos algumas ações para arrecadar dinheiro (feijoada, venda de rifas, cupcakes) e buscamos patrocínios com lojas de móveis, materiais de construção, iluminação e acabamento. Recebemos ajuda de pessoas físicas e fizemos um caixa em sala de aula onde cada aluno contribuía com o que podia”, explica o professor da Faculdade São Lucas.

Estudantes visitaram várias vezes a casa para saber as necessidades da aposentada
Estudantes visitaram várias vezes a casa para saber as necessidades da aposentada que vive com um filho autista.

Leia também:

Indonésia ganha biblioteca pública feita com dois mil potes de sorvetes usados

Noivo desiste do casamento e mulher faz memes para superar término no DF

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O primeiro dia de aula do menino desnutrido que foi resgatado há um ano

Eles contrataram mão de obra e colocaram a mão na massa. Substituíram o telhado da casa, fizeram o banheiro, trocaram todo o piso e refizeram a parte elétrica e hidráulica. Também compraram móveis novos, alimentos e produtos de higiene pessoal para a família da dona Nair. Além disso, a casa ganhou um jardim, calçada e muro novos.

A reforma levou dois meses para ficar pronta. Durante esse tempo, a família ficou em uma casa alugada pelo voluntários. “O resultado foi mais que gratificante e refletido pelo brilho nos olhos dos moradores. Todos saímos com almas carregadas e uma doce e azul sensação de fazer o bem”, lembra Netto.

estudantes disseram que a sensação de fazer o bem é inexplicável
Antes e Depois da reforma

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

estudantes fizeram um banheiro para a aposentada
A casa antes sequer tinha banheiro

estudantes conseguiram móveis para Dona Nair
Estudantes conseguiram móveis para Dona Nair

estudantes se moblizaram muito

estudantes conseguiram equipamentos de cozinha

Veja também: Depois de idosa de 89 anos ser despejada, vizinha compra sua casa de volta

Fotos: Divulgação

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,425,269SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Vaquinha para idosa humilhada por morar em barraco de madeira tem meta atingida

A dona Maria de Fátima, 57 anos, não poderia esperar o tamanho da ajuda que receberia de todos vocês! Até a publicação desta matéria,...

Menina de 5 anos ganha boneca deficiente visual e aprende sobre diversidade brincando

A menina Lívia ganhou uma boneca com as características da gaiteira Natalia Guastuci, que é deficiente visual e de quem é fã.

Os cafés onde voluntários consertam coisas de graça contra a obsolescência programada

Quem é que nunca ouviu ou nunca falou de como os produtos de hoje são descartáveis, não duram nada? Que os de antigamente eram...

A reação dessa jovem albina à linha de maquiagem criada por Rihanna mostra que representatividade nunca é demais

“Repensando todas as vezes que eu fiquei laranja. É um novo mundo. Bom trabalho!”

[VÍDEO] Entregador desabafa sobre gorjetas, viraliza nas redes e arrecada mais de R$ 300 mil

Mais uma prova do quanto as redes sociais são capazes de disseminar o bem! Riley Elliot é um motorista de aplicativo que resolveu fazer...

Instagram