Estudantes reivindicam que casais LGBTs entrem na quadrilha de festa junina – e conseguem!

Apesar de diariamente sermos bombardeados de informações e notícias ruins, eu sigo acreditando que estamos vivendo um período único no mundo de esperança, onde esta nova geração de crianças e adolescentes está vindo pra mudar muita coisa no nosso mundão. Esse é o grande motivo do nosso site existir, aliás.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por isso, aqui no Razões adoramos publicar histórias como a do menino de 4 anos que pergunta para mãe por que as bonecas só falam “mamãe”, ou a do pequeno Samuel que pediu, em vez de presentes em seu aniversário, caixas de leite para doar a um asilo, ou desses colegas de colégio no Rio se unem para defender direitos de estudante transexual, e por aí vai.

E quando se trata de tolerância a respeito da diversidade, eles já mostram uma abertura e esclarecimento sobre o assunto que minha geração na escola não tinha (tenho 31 anos) e muito menos a dos meus pais, onde vemos estes jovens discutindo sobre estes e outros assuntos de forma bastante natural.

Quadrilha para TODES

Pois bem, comecei a falar sobre este assunto, porque recentemente o canal Põe na Roda publicou um vídeo sobre uma iniciativa de estudantes do terceiro ano de uma escola em São Carlos, interior de São Paulo, onde eles reivindicaram que a festa junina fosse mais inclusiva, e conseguiram que se juntasse à celebração casais de gays, lésbicas e até poliamor.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Mas e as crianças? Elas não tem consciência disso” foi um dos questionamentos que eles ouviram de alguns pais quando começaram a pedir pela mudança na festa, há 4 anos, e desde então vinham percebendo que a homofobia estava mais presente no contexto escolar do que eles imaginavam. Devido às barreiras que viram, resolveram então fazer protestos silenciosos nos intervalos das aulas, empunhando cartazes contra a homofobia e recolhendo assinaturas de quem concordava com a ideia deles.

festa_juninas_lgbt2

Deu certo.

No vídeo eles contam um pouco mais sobre tudo que passaram e reafirmam que não fizeram todo esse “alvoroço” com o objetivo de provocar nem chocar ninguém, mas sim distribuir a igualdade e trazer à tona uma discussão tão essencial nos dias de hoje. Eles contam ainda que houve resistência de apenas alguns pais, mas não todos, e que tiveram ainda duas mães de alunos que participaram da quadrilha juntas.

Assistam à reportagem:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O mais bacana é ver os alunos héteros se juntando à causa e defendendo os amigos, um deles disse “mesmo que a luta não seja exatamente minha, acho que todos tem que ter direitos iguais”. Demais né?

E para os pais que não sabiam o que poderiam dizer às crianças que viram “aquilo”, recomendo assistir esse vídeo:

festa_juninas_lgbt festa_juninas_lgbt3 festa_juninas_lgbt4 festa_juninas_lgbt5 festa_juninas_lgbt6

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

festa_juninas_lgbt7

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,505,556SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Campanha Janeiro Branco chega a sua 5ª edição e ganha todo o país

Campanha pretende mobilizar sociedade em favor da Saúde Mental com ações que serão realizadas em várias cidades do país ao longo do mês de...

‘Barraca da honestidade’ funciona sem vendedor e surpreende motoristas em SC

Uma barraquinha sem vendedor instalada na BR-470, entre os municípios de Rodeio e Ascurra, Santa Catarina, tem feito o maior sucesso entre os motoristas...

Mulher grava ronco do marido por 4 anos e cria remix de “Despacito”

Sucesso nas paradas do mundo inteiro, o hit "Despacito", do cantor porto-riquenho Luis Fonsi, serviu de inspiração para um remix inusitado. No vídeo abaixo, a...

20 pessoas que eternizaram momentos e pessoas inesquecíveis através de tatuagens

Não é clichê, esta é a afirmação mais verdadeira e genuína que existe e não podemos negar: o amor é a força mais poderosa...

Mesmo internada em hospital, jovem maquia idosa que não se sentia bonita: “ela me agradeceu sorrindo”

Andressa colocou suas dores de lado para ajudar uma idosa que se sentia feia, sozinha, triste, e isso mudou seus dias.

Instagram