Estudantes se mobilizam para ajudar morador de rua a cursar o último ano de Direito

Clique e ouça:

Mais uma linda história e exemplo de como as redes sociais podem e devem ser usadas para o bem!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Laedison dos Santos é morador de rua em São Paulo, mais exatamente em uma barraca embaixo do Viaduto de Chá, na região central da cidade.

Em um dia qualquer, três estudantes, que não quiseram se identificar, cruzaram o caminho de Laedison que comoveu os jovens com seu história, tanto que eles acabaram criando uma página no Facebook para compartilhá-la e também ajudá-lo.

“Sim, ele é negro, e não, ele não rouba, ele não usa drogas e não me parou pra pedir esmola”, assim começa o relato.

Laedison é bolsista integral e cursa o último ano de Direito na UNIESP (União das Instituições de Ensino de São Paulo), mas ele perdeu todos os seus livros, que foram apreendidos por fiscais encarregados de recolher mercadorias de camelôs.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além da falta de material, também tem a questão de roupas. “Eu tenho vergonha de entrar na faculdade vestido assim”, confessou ele. Foi aí que elas resolveram se mobilizar para ajudá-lo.

O post inicial teve mais de 200 mil curtidas em um fim de semana.

Esse é o Laedison. Sim, ele é negro, e não, ele não rouba, ele não usa drogas e não me parou pra pedir esmola. Ele viu…

Posted by Yanca Araujo on Sexta, 28 de agosto de 2015

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Através da página, é possível fazer doações de roupas e calçados, livros preparatórios para o exame da OAB, além de dinheiro e mantimentos.

Também está rolando uma vaquinha. O sonho de Laedison é ser advogado. E ele vai realizar.

Segundo as estudantes, ele veio de Salvador (BA) em 2007. “Ele veio acompanhado da esposa em busca de melhores condições de vida. Em 2009 ela faleceu e como não podia ter filhos, ele ficou sozinho. Quando perguntamos de seus parentes ele disse que tem até o telefone de seu pai, mas que o mesmo o rejeita e o disse uma vez que o único caminho dele era ser marginal, então foi aí que ele decidiu que seria diferente”, diz a publicação.

pagina_laedison_-450x312

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Catraca Livre

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,051,187FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
17,294SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem com deficiência humilhado por atraso de salgados se surpreende com apoio: “o telefone não para”

Coisa mais linda essa corrente de solidariedade, o Rafael tá sem acreditar! Rafael foi humilhado por um cliente que não aceitou o atraso da sua...

Cãozinho é reprovado em treinamentos da polícia por ser ‘dócil demais’

E essa carinha de: "Alguém brinca comigo, por favor!"?

Homem cria “restaurante” 24 horas para alimentar cachorros de rua

João Araújo mora em Palmas, no Tocantins e é gerente de uma loja de peças para motos. Ele sempre se preocupou com os cachorros de rua da...

“Eu quito!”, diz Tatá Werneck para seguidora que desabafou sobre dívidas na pandemia

A Tatá Weneck se ofereceu para pagar as dívidas de uma seguidora depois que ela postou um meme no seu Instagram. O meme é uma...

Jovem ‘zombada’ por vender sacos de lixo para ajudar a mãe não abaixa a cabeça

A estudante de enfermagem Clara Soares, 18 anos, vende sacos de lixo e panos de chão em Ceilândia (DF) para ajudar a mãe. Enquanto batia...

Instagram

Estudantes se mobilizam para ajudar morador de rua a cursar o último ano de Direito 13