Estudantes criam etiquetas em braille para deficientes visuais

Pouco se fala sobre a acessibilidade dos deficientes visuais na moda. Você não tem curiosidade de saber como esse público consome moda? Quantas vezes você ouviu falar de roupas com etiquetas em braille, sistema de escrita usado pelos deficientes visuais?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Daqui para frente – torcemos para que sim! – isso não será mais uma novidade, mas vamos dar os créditos para as idealizadoras: as estudantes de Design de Moda, Amanda Gotado e Camila Dinapoli, do Centro Universitário Belas Artes, em São Paulo.

A Consultoria SENSE nasceu no último ano de faculdade das estudantes, como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), ao elaborarem etiquetas em braille e uma consultoria de estilo para as pessoas com deficiência visual. Em entrevista para o Moda Sem Crise, Amanda e Camila detalharam o funcionamento das etiquetas.

estudantes criam etiquetas roupas braille deficientes visuais
Camila Dinapoli e Amanda Gotado

Elas possuem um sistema de QR Code contendo as informações da peça (cor, tamanho, lavagem e outros detalhes). Isso evita a necessidade dos deficientes visuais estarem acompanhados por uma pessoa que enxerga no momento da compra da peça. Eles podem escolher à vontade, levar o tempo que precisam, sem se preocupar com o tempo do acompanhante que enxerga.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O código poderá ser lido por um aplicativo gratuito já existente chamado QR Code Reader disponível para Android e IOS, que lê os códigos através da câmera do próprio celular”, explicou Camila.

estudantes criam etiquetas roupas braille deficientes visuais
As estudantes desenvolveram etiqueta em braille com sistema de QR Code

Amanda e Camila também planejam oferecer treinamentos para atendentes de lojas e uma consultoria de estilo, do tipo personal shopper, ou para organizar os armários do clientes na casa deles. Serviços como esses, segundo as estudantes, criam pontes para o que elas entendem ser a moda inclusiva.

“A moda inclusiva significa reconhecer que todas as pessoas sem distinção pertencem à moda, é trazer acessibilidade e autonomia para esse público, pois não é ele que precisa se adaptar à moda, e sim a moda que precisa se adaptar às suas necessidades”, explica Amanda.

“Serviços como o nosso mostram que a acessibilidade é importante e essencial para que todos tenham acesso à moda da mesma forma, além de representar a pessoa com deficiência visual como consumidor real e, assim contribuir para a inclusão desse público, fazendo ele se sentir representado pela moda”, acrescentou Camila.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também!

Brandilli lança nova coleção de camisetas em braille

crédito das fotos: Arquivo Pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,130,150SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Senhor de 91 anos com câncer já costurou mais de 8 mil gorros para desabrigados

Enquanto luta contra o câncer de pele, Morrie Boogaart, um senhor de 91 anos, faz gorros para moradores de rua. Ele já confeccionou mais de...

Lady Gaga canta para fã de 98 anos em abrigo contra incêndios na Califórnia

A cantora Lady Gaga, 32, se ofereceu como voluntária para a Cruz Vermelha em um abrigo contra incêndios após ter sido evacuada de sua casa em Malibu.

Cão que ficou preso durante 8 anos experimenta a liberdade com bichinhos de pelúcia

Quando for adotar um cãozinho, dê preferência para aqueles que têm poucas chances de serem adotados.

Advogado curado de leucemia junta dinheiro para dar casa à sua doadora

Buscando recompensar a doadora de medula que curou sua leucemia, o advogado Gabriel Massote Pereira, que mora em Uberlândia (MG), decidiu fazer uma vaquinha...

Startup cria aplicativo que indica onde o seu lixo pode ser descartado

A empresária e especialista em sustentabilidade, Roberta Pinheiro, identificou há pouco mais de um ano que as pessoas querem fazer o descarte correto do...

Instagram

Estudantes criam etiquetas em braille para deficientes visuais 1