Ex-catadora de latinhas que passava fome é aprovada em concurso e sua história vai virar filme

Essa história vai virar filme, ainda bem, pois merece!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Marilene Lopes é uma ex-catadora de latinhas, que ganhava 50 reais por mês para sustentar os filhos e começou a ganhar 7 mil reais depois que passou em um concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ).

Quando recebeu a proposta, ela aceitou na mesma hora.

“Tantas pessoas querem ter fama para aparecer. Eu quero somente para levantar a autoestima das pessoas”, afirmou ao G1.

A técnica do TJ afirma se orgulhar da trajetória que percorreu, não por menos. E nós também sentimos muito orgulho dessa brasileira que nos representa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela lembra quando não tinha condições nem de pagar o gás e cozinhava com gravetos para seus cinco filhos no barraco em que moravam numa ocupação em Brazlândia, a 30 quilômetros do centro de Brasília.

Segundo Marilene, os tempos difíceis duraram um ano e meio, e, na época, a família passava muita fome. “Nunca tinha nem fruta para comer. Eu me lembro que passei um ano com uma só calcinha. Tomava banho, lavava e dormia sem, até secar, para vestir no outro dia”, conta.

Em sua trajetória ela já foi  agente de saúde e doméstica, mas foi demitida por faltar quando teve que cuidar de seus filhos.

Ela chegou a comprar um  carrinho de mão para levar seus filhos para a creche, pois se eles chegassem lá com os pés sujos eram impedidos de entrar. Tirando máximo proveito da situação, após deixá-los, ela lotava o carrinho de latinhas.

A grande virada veio quando ela leu na capa de um jornal sobre a abertura das inscrições e  decidiu então se inscrever no concurso em 2001.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para conseguir se inscrever, ela pediu uma ajuda R$ 5 de cada amigo, chegando à agência bancária para fazer o pagamento da inscrição dez minutos antes do fechamento.

Ela passou cerca de um mês estudando com suas irmãs e foi a única aprovada no concurso. “Tinha medo [de não passar] e ao mesmo tempo ficava confiante. Sabia que se me dedicasse bem eu passaria, só precisava de uma vaga”, diz.

Após a aprovação, Marilene já passou pelo Juizado Especial de Competência Geral, 2ª Vara Cível, Órfãos e Sucessões de Sobradinho, 2ª Vara Criminal de Ceilândia, 12ª Vara Cível de Brasília e Contadoria.

Por e-mail, seu primeiro chefe, o analista Josias D’Olival Junior, é só elogios. “A sua história de vida, a sua garra e o seu caráter nos tocavam e nos inspiravam profundamente.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

marilene_latinha_2

marilene_latinha1

MARILENE LOPES TECNICA DO JUDICIÁRIO, EX CATADORA DE LATINHAS  DATA : 23/05/13  FOTO : ELIO RIZZO

14005245079_e0e980be71_b

Fonte: Só Notícia Boa

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,822,141SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Evangélicos montam centro de apoio para romeiros católicos que vão à Aparecida

No centro de apoio, são oferecidos atendimento físico, incluindo massagem e alongamento, exames de pressão e glicemia, além de lanches e água.

Para promover adoção, jogadores de futebol irão levar cães abandonados a campo antes das partidas

Mais do que conquistar um troféu ou medalhas, o futebol pode servir como instrumento de transformação, inclusão social e respeito ao próximo - inclusive...

Professor de SP conserta respiradores de graça e compartilha conhecimento pela internet

Na cidade de Batatais, interior de São Paulo, o professor de mecânica Luciano dos Reis, não somente está consertando gratuitamente respiradores de hospitais, como...

Grupo no Facebook recria obras de arte icônicas com bom humor e criatividade

Tudo para fugir do tédio da quarentena! 😬 Usuários criativos de um grupo no Facebook estão imitando pinturas de artistas icônicos como Picasso, Matisse e...

Voluntários levam cestas básicas para moradores de favelas que passam fome: coronavírus

A falta de trabalho por conta do isolamento social pelo coronavírus já atinge em cheio moradores de favelas e áreas mais pobres. Saiba como ajudar.

Instagram