Ex-morador de rua chora em estacionamento após conquistar diploma em MS

Em junho do ano passado, o ex-morador de rua Fernando da Costa Silva, 31 anos, realizou a prova do Encceja, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, em Campo Grande (MS).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Após seis meses de muita espera e apreensão, Fernando pôde finalmente comemorar a conquista do diploma. Pouco depois de pegar o certificado, ele foi visto em um estacionamento chorando e erguendo as mãos para o céu, bastante emocionado.

“Chorei igual criança e mostrei meu certificado para Deus. Cheguei no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul muito ansioso para saber o resultado, é meu futuro. Para outros o diploma pode ser banal, mas acredito que a educação é a chave do sucesso e estudei muito para chegar até aqui”, conta.

A cena foi gravada por uma servidora do instituto e viralizou nas redes sociais. Fernando achava que estava sozinho e, num momento de pura redenção, se ajoelhou no chão e fez uma oração, agradecendo por não ter desistido.

morador de rua aluno chora diploma

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jornada rumo ao diploma

“Minha vida foi escura, difícil. Com 17 anos parei de estudar e saí da casa da minha mãe para morar com os amigos. Fiquei apenas uma semana e fui parar na rua, fiz amizades erradas, me envolvi com drogas e quando vi se passaram 12 anos naquelas condições. Contudo, tive força de vontade e larguei mão daquilo e fui buscar ajuda”, lembra.

Leia também: Mãe e filho realizam sonho da graduação e conquistam diploma juntos

Completamente à deriva, Fernando acabou indo parar em um quartinho próximo à Santa Casa de Campo Grande, onde fez nova amizades que o ajudaram a recomeçar. “Ainda tem gente boa nesse mundo. Soube de uma clínica de reabilitação de um pastor e falei com ele. Só me pediu uma coisa, que prometesse que iria mudar”.

Ele prometeu a si mesmo que largaria o vício e construiria para si um futuro melhor. “Fui abraçado por ele, que me levou para a clínica de reabilitação por dois anos e meio. Lá virei até monitor para ajudar outros que passavam pelo mesmo problema”.

morador de rua aluno chora diploma

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Após um tempo de recuperação, Fernando passou a andar com as próprias pernas, voltando a trabalhar e estudar. Enquanto cursava Técnico de Enfermagem, acabou se casando. E no meio disso tudo, continuou estudando para passar na prova do Encceja, visando o certificado de conclusão do ensino médio e a conquista da carteirinha do Coren (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul).

As inúmeras noites em claro estudando e revisando cada conteúdo valeram a pena. “A educação me salvou e agora ninguém mais me segura. Quero ter um futuro melhor para ajudar outras pessoas. Vou conseguir e acredito que a nossa próxima entrevista vai ser quando me tornar médico”, diz ele, confiante e cheio de planos.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Campo Grande News/Fotos: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,773,760SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Caixas de leite proporcionam conforto térmico a famílias de baixa renda

Startup usa caixas de leites para proteger famílias do forte calor emitido pelas telhas de amianto que cobrem suas casas.

Família doa terreno para construção de hospital do câncer em Peruíbe (SP)

Em Peruíbe, município de 67 mil habitantes do litoral sul paulista, conhecida pelas belas e extensas praias, além do turismo ecológico e rural, uma...

Conheça a Livreteria, o triciclo que está levando leitura aos morros do Complexo de São Carlos, no Rio

Os amigos Guilherme Vinicius Roberto, de 29 anos, e Luan Oliveira, de 17, do o Morro do Zinco, queriam estimular a leitura entre crianças e jovens dos...

Quando há uma interação entre um manifestante e um militar

Durante um protesto no Brasil, um general disse: “Por favor, não lutem, não no meu aniversário…” Então um grupo de protestantes fizeram uma surpresa para...

Professora faz lindo depoimento sobre sua experiência com aluno autista que passou no vestibular

De todas as coisas essenciais para que qualquer ser humano cresça acreditando nele mesmo e no seu potencial, a mais importante é o amor!...

Instagram