Menino que vendia canetas virou milionário e ajuda comunidade onde cresceu

Esses dias uma história viralizou na internet de um menino que foi vendedor de canetas no Pará e que se tornou milionário aos 21 anos de idade. Aquele garoto, hoje aos 26 anos, é é um empresário bem sucedido com várias empresas. Agora, Douglas Ferreira ajuda o estado onde cresceu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Depois de consolidar suas empresas, um percentual do seu lucro é destinado a ações de responsabilidade social na comunidade do Outeiro, em Belém do Pará.

Mesa vermelha cheia de alimentos e com pessoas posando para foto
Douglas e sua empresa ajudam famílias pobres do Pará. Foto: Arquivo Pessoal

Ele também realiza ações sociais em outras comunidades, incluindo na cidade de Ananindeua, onde cresceu. Douglas até colaborou através da sua empresa com R$ 3 mil em uma vaquinha do VOAA para ajudar a construir a nova sede do instituto EduPaçoca e ajudar a resgatar mais animais de rua.

“Se cada pessoa fizer a sua parte, com certeza vamos construir um mundo melhor”, disse.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Douglas aprendeu a empreender com o avô, que o incentivou a vender canetas

Douglas foi criado pela mãe e pelo avô materno, que era autônomo. “O meu avô trabalhava como autônomo, e com todo o seu sacrifício ele me criou, me educou e me vestiu. Eu sempre quis proporcionar uma qualidade de vida para a minha família, especialmente para o meu avô. Esse foi o principal propósito que me incentivou a empreender”, disse.

Foi o avô de Douglas que comprou uma caixa de canetas para o garoto vender na escola e na vizinhança. “Quando eu era criança ele me ensinou a vender, a negociar, lidar com clientes, vender, vender e vender. Mas muito além disso, meu avô me ensinou os meus principais valores: honestidade, educação, compaixão e respeito“, conta.

Menino em cavalinho de brinquedo
Douglas era um menino cheio de sonhos. Foto: Arquivo Pessoal

Dali em diante, o garoto não parou mais. “A partir daí peguei o gosto pela venda. Comecei a vender rifa, relógio, roupa, sapato etc. Tudo o que eu pegava eu vendia muito rápido“, relembra.

Depois o menino foi trabalhar em uma empresa como menor aprendiz e conseguiu uma bolsa de desconto em uma escola particular, mensalidade que pagava com o dinheiro do trabalho. Ao terminar o Ensino Médio, entrou na faculdade de administração, mas largou o curso e o trabalho porque o que queria mesmo era empreender.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dois homens abraçados com senhor idosos de blusa estampada ao centro em um belo jardim verde com coqueiros
Douglas promove mais qualidade de vida ao seu avô. Foto: Arquivo Pessoal

As pessoas perguntavam o que eu queria ser na vida, e com muita convicção eu dizia: vou ser um grande empresário, quero ser bem sucedido. Nessa época, eu já tinha certeza que iria me tornar um empresário mais tarde”, disse.

Com as economias que fez, juntando R$ 50 mil, em 2019 ele criou uma marca de dermocosmético chamada DermoSec, com um antitranspirante dermatológico, além de clareadores, hidratantes, sabonete líquido e protetor solar.

Homem de terno azul e gravata vermelha
Douglas virou empresário bem sucedido. Foto: Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em pouco mais de 2 anos, já são mais de 200 mil clientes… E contando. Agora ele vai expandir o negócio para fora do Brasil e já criou até um banco digital com mais dois sócios. É! Aquelas canetas lá do passado escreveram uma história bem promissora.

Douglas conta o que faz para ter sucesso nos seus negócios

Douglas acredita que o seu exemplo pode ajudar outros jovens que querem empreender. Para ele, a vontade de vencer é essencial. “Sempre fui faminto por vencer na vida”, disse.

Ele explicou como faz para montar os seus negócios. “As ideias sempre aparecem no meu cotidiano mesmo, eu sou muito observador, eu observo um problema e encontro uma solução para o problema, e penso como eu posso monetizar com essa solução. Pronto, temos um negócio. É sempre essa lógica”, revelou.

Homem sorrindo no mar
Douglas ganhou o mundo após o sucesso com o empreendedorismo. Foto: Arquivo Pessoal

Ele deixou mais dicas para quem quer abrir um negócio. “Estude sobre vendas. Vender, é o combustível de qualquer negócio. Não desista NUNCA. Acredite, vão aparecer conselhos de pessoas próximas que nunca construíram nada, vão aconselhar você a parar de empreender, vão te dizer que empreender não é pra você, vão te dizer que empreender é só pra quem tem muito dinheiro, e isso não é verdade”, disse. Ah, isso acontece mesmo.

“Para chegar ao topo, é necessário atitude, muito esforço, entusiasmo e constância naquilo que fazemos. Acredito que paixão e perseverança é mais importante que inteligência. Tenha visão empreendedora, pense em ser grande, em ser o melhor da sua área, pense que você será o melhor do seu segmento”, recomendou.

Menino que vendia canetas virou milionário e ajuda comunidade onde cresceu 2

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM










Menino que vendia canetas virou milionário e ajuda comunidade onde cresceu 3

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
5,145,534SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com ajuda de tutor, cãozinho se diverte em escorregador infantil de casa [VIDEO]

As vezes a gente só quer se divertir com quem a gente ama, né?! ❤️ Em um vídeo super fofo compartilhado nas redes sociais, um...

Médicos do Sírio e do Einstein abrem clínica particular em Heliópolis

Saúde pública gratuita e de qualidade é um sonho? Inovação social? Razões para acreditar? Médicos do Sírio e do Einstein, na entrada da favela de...

Emoções positivas podem ajudar a diminuir problemas de memória ao longo do envelhecimento

"Toda positividade, eu desejo a você", porque como revelou um novo estudo, isso pode ajudar a diminuir os problemas de memória à medida em...

Dentista opera tumor de frentista e ação viraliza nas redes sociais

O dentista pensa em multiplicar a ação com um projeto que atenda pessoas carentes.

“Seleção às Cegas”: agência recruta candidatos excluindo idade, gênero ou estado civil

A plataforma de recrutamento da Artplan traz como ponto de partida a "Seleção às Cegas". Em parceria com a EMPREGARE.com, a agência foi pioneira na implantação deste modelo no mercado publicitário...

Instagram

Menino que vendia canetas virou milionário e ajuda comunidade onde cresceu 4