Extra e Pão de Açúcar trocam bandejas de isopor por material biodegradável

Por CicloVivo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pauta do uso excessivo de embalagens, como plástico e isopor, tem sido bastante frequente, principalmente quando se fala do setor de hortifrúti, que a cada ano vem recheando as prateleiras (e os lixões) de bandejas de poliestireno expandido (isopor), plástico filme e embalagens plásticas rígidas.

No Brasil, segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular, sem qualquer tipo de tratamento, em lixões a céu aberto. Outros 7,7 milhões de toneladas são destinadas a aterros sanitários. E mais de 1 milhão de toneladas sequer são recolhidas pelos sistemas de coleta.

Pensando em amenizar este impacto ambiental, o GPA, controlador das bandeiras Extra e Pão de Açúcar, anunciou que vai substituir 100% de suas bandejas de isopor utilizadas em produtos hortifrúti (frutas, verduras e legumes) Taeq e Qualitá para uma solução 100% biodegradável. A mudança começa em maio de 2019 e deve ser concluída em um ano.

A nova embalagem, produzida a partir de uma tecnologia da Tamoios Tecnologia, é desenvolvida com caixas de celulose e amido. Elas são 100% livres de petroquímicos e aditivos tóxicos e totalmente biodegradáveis. Ao ser descartada, a nova embalagem leva até seis meses para ser totalmente degradada, diminuindo assim, o descarte de resíduos. As bandejas substituem às feitas de isopor (poliestireno expandido), PVC, PET e outros plásticos – mensalmente, 600 mil bandejas delas eram utilizadas por Taeq e Qualitá em todo o país.

A mudança começa a ser implantada em maio nos itens orgânicos Taeq comercializados nas redes Extra (super, hiper e Mini Extra) e Pão de Açúcar (supermercado e Minuto) do estado de São Paulo, além dos respectivos e-commerces. A expectativa é que, após a avaliação do uso inicial da tecnologia, a substituição aconteça também nos demais estados do país e inclua os itens Qualitá. Até maio de 2020, portanto, todas as bandejas de frutas, verduras, legumes e ovos das marcas Qualitá e Taeq serão feitas com a nova tecnologia.

O problema do isopor

O isopor é um material que, em razão de sua composição (98% de ar e 2% de plástico) é pouco aproveitado para a reciclagem e inclusive já possui restrições ao seu uso em alguns lugares do mundo, como em Nova York, Vancouver, Jamaica e Fernando de Noronha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Se descartado incorretamente no meio ambiente, provoca diversos prejuízos, tanto se queimado (emitindo gases tóxicos e poluentes) como quando descartado, levando centenas de anos para se decompor, se quebrando em micropartículas que contaminam o solo e os recursos hídricos. O material contribui fortemente para a chamada “sopa-plástica” que flutua nos oceanos e vai parar em diversas correntes, praias e ilhas do litoral, sendo frequentemente ingeridos por aves e animais marinhos.

Repensando embalagens

O grupo também anunciou que sua linhas de ovos de galinha, antes comercializadas em bandejas plásticas, serão migrados para a mesma solução da embalagem de caixa de celulose com amido. Já a segunda novidade será para as bananas orgânicas do grupo, que passarão a ser vendidas em uma cinta que garante suas especificações e a legislação de orgânicos, porém, consumindo menos embalagem.

“Começaremos com nossas marcas exclusivas e esperamos que isso sensibilize e estimule a adesão de demais marcas e produtores para a substituição de suas embalagens por opções biodegradáveis”, comenta Susy Yoshimura, diretora de sustentabilidade do grupo.

Outras ideias

O CicloVivo já mostrou algumas outras soluções para o setor, como é o caso da rede supermercado tailandesa que trocou o plástico por folhas de bananeira e  uma outra neozelandêsa que simplesmente aboliu embalagens no setor de hortifrúti.

Conteúdo do CicloVivo, site parceiro de conteúdo do Razões.

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,764FãsCurtir
1,764,214SeguidoresSeguir
8,645SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram