Fernando de Noronha proíbe uso e venda de plásticos descartáveis

O arquipélago pernambucano de Fernando de Noronha proibiu o uso e a venda de plásticos descartáveis.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A norma é aplicável a todos os estabelecimentos e atividades comerciais do distrito estadual, incluindo restaurantes, bares, quiosques, lanchonetes, ambulantes, hotéis e pousadas, além dos cerca de 2,6 mil moradores da ilha e os 100 mil turistas esperados neste ano.

Tal legislação é pioneira no país, inspirada no que foi feito nas Ilhas Seychelles, um paraíso turístico no Oceano Índico.

Aqueles que descumprirem o decreto serão notificados e orientados a se adequar. Caso haja um novo flagrante, será aplicada uma multa de salário mínimo para habitantes e turistas, e três salários mínimos a comerciantes.

A partir da terceira notificação, será cobrado o dobro da última multa. No caso dos comerciantes, o terceiro flagrante inclui cassação do alvará por um mês. Se houver quarta notificação, a licença será cassada em definitivo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O texto, que prevê “proibição da entrada, comercialização e uso de recipientes e embalagens descartáveis de material plástico ou similares no Distrito Estadual”, abre exceção para materiais de uso médico.

Leia tambémSupermercado na Nova Zelândia retira plástico de frutas e verduras e vendas sobem 300%

Houve um prazo de 120 dias dados pela administração do arquipélago para que os estabelecimentos pudessem se adequar. Nesse período foram realizadas campanhas de conscientização junto a moradores, empresários e visitantes. O ciclo de reuniões esclareceu dúvidas da implantação do decreto.

Fernando de Noronha proíbe uso e venda de plásticos descartáveis
Arquipélago que recebeu mais de 100 mil visitantes no ano passado reforçou medidas de preservação. Foto: Teresa Maia/DP.

Houve ações de conscientização entre os turistas que estavam aproveitando as férias no arquipélago e entre aqueles que iriam viajar para lá futuramente. O Aeroporto Internacional de Recife e o terminal aéreo da ilha continuarão provendo esse trabalho ao longo dos próximos meses.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com a administração de Fernando de Noronha. “o Plástico Zero é uma ação prioritária em consonância com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que não fala apenas em reciclagem e reutilização, mas em descarte ambientalmente adequado de materiais, com redução dos resíduos.” Para apoiar o planejamento, foi convidado o movimento de educação ambiental e consumo consciente Menos 1 Lixo, que realizou encontros na ilha em janeiro.

“Depois de 120 dias de adequação, Noronha agora entra de forma ativa no combate à poluição, por meio da proibição dos plásticos descartáveis. Devemos a partir de agora repensar os nossos hábitos e fazer as substituições necessárias, porque isso vai refletir em um local ambientalmente correto e, consequentemente, na melhoria da qualidade de vida dos ilhéus. Isso é apenas o começo de uma nova era para o arquipélago, porque a intenção é banir o plástico de uma forma geral na ilha nos próximos anos. Noronha, dessa forma, vai servir de exemplo para muitos outros lugares”, comentou Guilherme Rocha, administrador de Fernando de Noronha.

Leia tambémMultinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Diário de Pernambuco
Foto destacada: Ana Clara Marinho/TV Globo

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,758,975SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Empreendedora cria sistema de entrega com bicicletas para mulheres e transexuais

Um sistema de entregas expressa que utiliza a bike como principal meio de transporte. Essa foi a proposta que Aline Rieira apresentou quando se...

Morador de rua cria app sustentável depois de ganhar aulas particulares de programação

O nova-iorquino Patrick McConlogue começou um projeto social fascinante cerca de um mês atrás, ele ofereceu a um homem sem-teto, que passava todos os...

Impedida de estudar na infância, dona Duzinha aprende a ler e escrever aos 104 anos

Dona Duzinha dos Reis, de 104 anos, começou a estudar recentemente para realizar seu maior sonho: poder ler a Bíblia. Para isso, ela participa de...

Família de italiano morto no Rio arrecada dinheiro para crianças de favela onde aconteceu o crime

A comunidade será ouvida sobre a melhor forma de usar os recursos arrecadados.

Documentário provocador discute estigmas sobre a menstruação

O documentário 'Nosso Sangue, Nosso Corpo' pretende naturalizar a conversa sobre a menstruação.

Instagram