Filha de mãe solo, ela criou um canal para falar com quem também cresceu sem o pai

A Vivi superou uma infância dura ao lado da mãe solo e de suas duas irmãs, e hoje ajuda pessoas com a mesma realidade que ela por meio do canal Vivi Em Família.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Seu conteúdo é voltado para pessoas que não tiveram e/ou foram abandonados por seus pais/mães e também para todos aqueles que são afetadas por essa realidade (mãe solo, pais ausentes, avós e seus familiares).

A ideia do canal é passar mensagens de apoio, informação sobre paternidade e este universo, além de servir de inspiração para todo mundo seguir suas vidas da melhor forma possível.

filha mãe solo criou canal falar com quem também cresceu sem pai
A Vivi criou o canal Filhos Sem Pais Viviane para conversar com pessoas que não tiveram ou foram abandonados pelos pais

Ausência da mãe

Assim como milhões de brasileiros, a Vivi foi abandonada pelo pai ainda recém-nascida e sua mãe teve que se desdobrar em mil para dar as melhores condições para ela e suas irmãs.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por trabalhar fora, sua mãe também se ausentou boa parte da sua infância e adolescência e quem cuidava de fato dela era sua irmã mais velha.

A Vivi foi perceber o quanto o abandono paterno afetava a presença da sua mãe no seu dia a dia quando ela teve de ir à sua formatura da 4ª série sozinha, enquanto sua mãe trabalhava.

“Nesse dia eu tive a noção do que é não ter um pai, quando vi todo mundo buscando o diploma acompanhado, enquanto eu ia sozinha”, conta.

A partir desse momento ela teve maturidade pra entender que sua mãe não tinha culpa por estar ausente, uma vez que ela poderia participar mais ativamente da vida da filha se tivesse as responsabilidades por sua criação fossem divididas com o pai.

Mas nem todo mundo consegue superar da mesma forma que ela esse abandono, por isso hoje a Vivi se comunica com pessoas com a mesma realidade que ela por meio do canal e também pelo Instagram.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A luta da Vivi é para mudar esse contexto naturalizado do abandono paterno. “Por pessoas que como eu, que cresceram na ausência de um pai ou de uma mãe, e conseguiram se sobreviver, as pessoas esquecem de cobrar a presença do pai”

Toda a história da Vivi foi contada na sessão 49 do canal ter.a.pia:

Conteúdo do ter.a.pia, canal parceiro do Razões.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,266,727SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Neozelandeses entregam voluntariamente suas armas após massacre

Dez dias após o ataque terrorista a tiros que vitimou 50 pessoas em Christchurch, muitos donos de armas de fogo têm entregado, voluntariamente, seus...

Novo tratamento contra nódulos de tireoide é feito sem deixar cicatriz

Pacientes do Sistema Único de Saúde terão acesso a um novo tipo de tratamento por radiofrequência para tratar nódulos de tireoide. A técnica é...

Fotógrafo compra câmera roubada e procura antiga dona nas redes sociais pra devolver

Por Rio de Boas Notícias O fotógrafo Rodrigo Soares, 30 anos, de Montes Claros (MG), arriscou-se a ficar no prejuízo, mas não teve dúvidas: “só...

Artista usa 100.000 livros proibidos para construir réplica do Partenon

Você gosta de livros? Imagina uma obra de arquitetura feita deles! A artista argentina Marta Minujín criou uma réplica em grande escala do Partenon, um dos marcos arquitetônicos mais emblemáticos...

Pais organizam buzinaço para homenagear professora que alfabetizou seus filhos em plena pandemia

A "profe" Bia recebeu um super presente de aniversário este ano. Os pais dos alunos dela, organizaram um verdadeiro buzinaço para retribuir a dedicação e...

Instagram

Filha de mãe solo, ela criou um canal para falar com quem também cresceu sem o pai 2