Em Natal (RN), filho de 11 anos ensina mãe catadora de lixo a ler e escrever

A catadora de lixo Sandra Maria de Andrade, mãe de sete filhos, ficou sem saber ler e escrever até os 42 anos de idade. Abandonada pela mãe, a mulher foi obrigada a priorizar o trabalho antes dos estudos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na trajetória de vida, Sandra se virou como pôde, trabalhou na lavoura, fazendo faxina e na fase adulta, depois de ter tido problemas com o marido, se sentiu desconfortável por não saber escrever nem o próprio nome, segundo uma matéria da BBC BRASIL.

Hoje, ela mora em uma pequena casa numa rua de areia no Jardim Progresso, na periferia de Natal, no Rio Grande do Norte. Sem nunca ter estudado, ela começou a dar os primeiros passos no mundo das letras graças ao filho Damião, de apenas 11 anos de idade, do seu segundo relacionamento.

Tudo começou com as histórias que o filho lia para ela. “Mãe, mãe, quer ler comigo? É uma historinha. E tem figuras”, dizia para incentivá-la. Em seguida, o menino começou a ensinar as letras do alfabeto.

Aos poucos, a mãe aprendeu a decifrá-las e a se desfazer do trauma que tinha com a letra “e”. Sempre que via a letra ela ficava apavorada, pois confundia o “e” com outras letras. Damião teve que desenvolver uma didática própria para sanar as dúvidas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela aprendeu a ler e escrever aos 43 anos
Sandra Maria de Andrade passou por muitas dificuldades, mas conseguiu se superar com ajuda dos filhos

O filho explicou que o “e” era o mesmo que um “i”, só que fechado e sem ponto. O “h” virou uma cadeirinha e o “R” o mesmo que um “B”, mas fechado. Foi assim que o menino ensinou as letras do nome dele e as letras do nome dela, até Sandra aprender a escrever. “Quando eu aprendi, disse: vou fazer outra identidade que é pra quando chegar nos cantos eu dizer: eu sei fazer meu nome. Pra mim, já era tudo eu saber. Chegar lá, o povo dizer assine aqui e eu dizer: agora eu já sei ler e escrever, não sinto mais vergonha”.

O filho-professor continua ensinando a mãe, pois quer que ela aprenda mais, e mais. “Eu quero ver ela aprendendo comigo. Quero que aprenda as palavras que ela sente aqui dentro. Ela gosta de falar amor, paixão. Já sabe um monte de palavras. Ela sabe as mais simples”.

Em apenas um ano, Sandra leu 107 livros. Um número impressionante, já que os brasileiros leem em média quatro livros por ano, segundo uma pesquisa do Ibope. O livro que ela mais gostou é “Ninguém nasce genial”, do escritor Sérgio Vieira Brandão. “Escrevi meu nome nele. Porque ninguém nasce gênioPorque eu achava que não precisava mais saber, achava que era tarde pra saber”.

Ela aprendeu a ler e escrever aos 43 anos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também!

Ivete Sangalo compra todo algodão doce de vendedor e o convida para subir no trio

Vira-lata ‘usa’ dentadura encontrada no quintal e quase mata todo mundo de rir

Jovem faz pedido para Whindersson Nunes, que o responde disposto a ajudá-lo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

crédito das fotos: AGIL FOTOGRAFIA/BBC BRASIL | TV GLOBO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,095,116FãsCurtir
2,692,340SeguidoresSeguir
22,481SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Pesquisa aponta que dividir a conta da Netflix é sinal de relacionamento sério

É um fato: Netflix já faz parte da vida de muita gente ao redor do mundo, e aqui no Brasil não é diferente, e...

Menino de 10 anos distribui lanches caseiros para desabrigados nos EUA

Liam Hannon tem 10 anos e passou as férias escolares preparando lanches feitos em casa para pessoas que moram em situação de rua.

Samsung abre inscrições do Prêmio Respostas para o Amanhã durante FEBRACE

Abertura ocorre durante a FEBRACE, nesta terça-feira (19), onde a Samsung também oferecerá oficinas de aprendizagem criativa.

Jovem de SC faz live de jogos para ajudar a família e recebe doação anônima de R$ 900 mil ao vivo

Leonardo Kuhn faz lives há 1 ano na plataforma Twitch, jogando na internet com a finalidade de arrecadar dinheiro para o tratamento do irmão...

Cantor paquistanês interrompe show para ajudar mulher que estava sendo assediada na platéia

Alguns usuários das redes sociais disseram que eles só voltou a cantar depois que teve certeza que as outras mulheres na platéia estavam a salvo.

Instagram

Em Natal (RN), filho de 11 anos ensina mãe catadora de lixo a ler e escrever 1