Mulher encontra no filho com paralisia cerebral uma missão e se torna especialista em gestão de pessoas

Thayná Silva Santos, 25 anos, encontrou o propósito da sua vida quando seu filho, Geraldo, 5, foi diagnosticado com paralisia cerebral. Nascia ali, junto com o garotinho, a missão de Thayná na terra, que ela descobriria anos depois.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nascida na cidade de Montes Claros (MG), ela cresceu em uma família humilde. Seu pai trabalhava como mecânico e sua mãe como doméstica. Um dia, Thayná conheceu em um salão de beleza um rapaz que, após alguns anos, se tornaria seu marido.

Wallisson Lopes Santos foi o responsável por ensiná-la sobre a vida, sobre cumplicidade e sobre o amor. Aos 19 anos, a garota tornou-se mãe do pequeno Geraldo César Lopes Santos, protagonista desta linda história.

Registro da família abraçada com o pequeno Geraldo, que tem paralisia cerebral
Wallisson, Geraldo e Thayná. Foto: arquivo pessoal

Propósito de vida

Como ela só tinha o ensino médio, seu maior desejo era passar em um vestibular, por isso, começou a estudar para as provas com o foco de entrar na faculdade. Mas, o caminho para iniciar este sonho foi um tanto turbulento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Era véspera do Enem quando Geraldo nasceu, sendo assim, Thayná não conseguiu fazer a prova. No ano seguinte, as sequelas do parto ainda estavam sendo investigadas e ela não tinha um diagnóstico concreto do estado de saúde do filho, então acabou perdendo mais uma prova.

Porém, com 1 ano e 3 meses de vida, a doença do bebê foi finalmente descoberta: o garotinho tinha paralisia cerebral. Imediatamente, eles iniciaram o processo de reabilitação. Com o tempo, tudo foi se ajeitando e Thayná decidiu tentar realizar novamente seu sonho.

pai, mãe e filho com paralisia cerebral
Foto: arquivo pessoal

Ela finalmente conseguiu prestar o Enem e adivinha só: ganhou uma bolsa para estudar Gestão Pública, curso escolhido por ela devido a necessidade do pequeno Geraldo e a dificuldade em entender como o serviço público funciona.

Nasce um filho, renasce um sonho

Era tudo muito calculado para que Thayná se adaptasse à nova rotina de estudos, já que Wallisson viajava bastante a trabalho e ela tinha que ‘se virar nos 30’ para não deixar seu bebê sozinho em casa. A única solução encontrada foi levar o filho às aulas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Muitas vezes, os colegas de turma tomavam conta dele para eu terminar a prova. A tutora sempre teve um carinho muito grande com a gente e nos ajudava muito. A rotina de terapias era bastante exaustiva, eu me desdobrava para conciliar tudo.”, conta Thayná.

alunos e menino cadeira rodas sala de aula
Geraldo com uma amiga da faculdade e Thayná sorrindo ao fundo. Foto: arquivo pessoal

Com o passar do tempo, em determinados momentos, Thayná já podia contar com a ajuda de outras pessoas, como sua sogra, amigas, vizinha e até mesmo do esposo Wallisson, quando não estava viajando a trabalho.

Em uma jornada de muito esforço e dedicação, Thayná conseguiu concluir a graduação e recebeu uma oferta de trabalho na própria faculdade. Além disso, Geraldo acabou virando uma espécie de amuleto da turma. 🥰

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Pegue impulso e salte com vontade. Não existe vitória sem luta!”

Frutos de muita dedicação e esforço

O horário do serviço era das 8h às 14h. Nesse período, Wallisson ficava com o filho e recebia ajuda de uma amiga do casal. Depois do trabalho, Thayná levava o menino direto para a reabilitação e voltava para casa para estudar.

Depois de formada, Thayná ainda decidiu iniciar uma pós-graduação em Gestão de Pessoas, concluída com sucesso. Hoje, com 25 anos, ela se dedica à reabilitação e aos cuidados do lar.

Recentemente, graças à sua experiência de trabalho na faculdade, um empresa a convidou para fazer parte da equipe de colaboradores. Sucesso!

alunos foto sala de aula com garoto em cadeira de rodas
Foto: arquivo pessoal

“O segredo é ser resiliente diante das adversidades. Não desistam da felicidade e não procurem por perfeição, existem diversas opções de adaptações na vida. E lembre-se: diagnóstico não é destino”, finaliza essa mãezona!

 

Quer ver mais uma história inspiradora? Dá um play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,777,821SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Estudante se torna primeiro surdo a defender tese de doutorado na UFPE

O estudante Marcelo Amorim é o primeiro aluno surdo na história da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) a defender uma tese de doutorado e...

Brasileira cria repelente natural 100% eficaz contra o mosquito da febre amarela!

Infelizmente o Brasil está passando por um surto seríssimo de febre amarela e não há vacina para todo mundo. Mas a boa notícia é...

Casal de médicos abre hospital barato na Índia com consultas por 10 reais

Sabemos que em nosso país, a saúde pública tem seus problemas e limitações, e mesmo a saúda privada tem seu preço, que geralmente é...

Carrinho de ambulante pega fogo em universidade e alunos se unem para ajudar

É bom saber que ainda existem muitas pessoas no mundo dispostas a ser solidárias e ajudar ao próximo. O ambulante Cristiano Moreira passou por...

Garoto que faz cuscuz para ajudar mãe é alvo de ataques racistas e internet responde com amor

Isaac tem 13 anos e, assim como milhares de brasileiros, vive uma vida simples e com o dinheiro contadinho. Foi por isto que o...

Instagram