“Vendo flores apenas para a felicidade”, diz florista que não vende coroas de flores há 46 anos

A história da florista Francisca da Glória, 70 anos, é tão bonita quanto o desabrochar de uma rosa. Glorinha decidiu aos 9 anos que queria ser florista.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Passei com minha vó em frente a uma floricultura de um japonês e falei pra ela que queria trabalhar com flores”, lembra.

Quando Glorinha completou 11 anos, a sua avó abriu uma pequena floricultura para ela. Mas o negócio não deu muito certo. Depois, elas abriram outra lojinha e também tiveram que fechar.

Glorinha continuou perseverando, mas a comunidade japonesa dominava o CEASA de SP e facilitava a venda para os próprios japoneses. “Então eu pensei: o jeito é casar com japonês que aí eu vou ter flor à vontade”, confessou. 

“Vendo flores apenas para a felicidade”, diz florista que não vende coroas de flores há 46 anos 3
Casamento de Glorinha com Takeo. Foto: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E ela casou mesmo, com o Takeo, seu vizinho, que era descendente de japoneses e trabalhava como funileiro. “Ele ia buscar flor pra mim no CEASA, era uma beleza, nunca mais faltou flor na loja”, narrou.

Leia também: Ex-secretária executiva pede demissão para abrir floricultura inspirada no jardim da avó: “Sensação de paz”

Glorinha vendeu suas primeiras flores na rua e de barrigão. “Eu estava grávida e ia pra frente do farol vender pra ter dinheiro para ir pra maternidade”, disse.

“Vendo flores apenas para a felicidade”, diz florista que não vende coroas de flores há 46 anos 4
Foto: Razões para Acreditar

Dificuldades fortaleceram a família e consolidaram o sonho da floricultura

Um dos momentos mais trágicos na vida da família foi quando Takeo sofreu um golpe do sócio na funilaria e perdeu a casa. Foi então que Glorinha puxou o marido para dentro da floricultura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quando as coisas começaram a caminhar, Glorinha perdeu uma filha de 1 ano e entrou em uma profunda depressão. Takeo teve que assumir o negócio e deu conta do recado!

Leia também: Em vez de flores, marido abre floricultura para surpreender esposa internada e transforma suas vidas

“Ele ia no lixo de outra floricultura, desmanchava os arranjos para aprender a fazer porque nunca trabalhou com isso e ficou um profissional que todo mundo queria”, contou Glorinha.

Takeo não está mais com Glorinha, infelizmente veio a falecer. Uma frase do marido que Glorinha gosta muito de lembrar é quando ele dizia, “o bonito está dentro de nós, os galhos secos dão as flores mais bonitas do Ipê e no pé de maracujá murcho está a mais bela flor”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Coisa linda de ler, gente!

Glorinha vende flores para a felicidade há 46 anos

As dificuldades continuavam, até que uma decisão abriu o caminho do sucesso para Glorinha. Olha só.

Glorinha foi fazer uma entrega de uma coroa de flores para um sepultamento, e chegando lá, encontrou apenas uma esposa velando o corpo do marido em uma situação muito humilde. Glorinha resolveu devolver o dinheiro para a mulher…

“Vendo flores apenas para a felicidade”, diz florista que não vende coroas de flores há 46 anos 5
Glorinha e Andreia. Foto: Razões para Acreditar

“Nunca mais fiz coroa pra quem morreu, e depois disso minha vida foi pra frente. Passei a vender flores só para a felicidade, nunca mais vendi nenhum botão de rosa pra quem já faleceu, isso há 46 anos. Vender flores pra mim é uma grande felicidade, um prazer,  não há tristeza, então vendo só para a felicidade”, disse.

A floricultura começou a ser frequentada por personalidades, como a eterna rainha da TV brasileira, Hebe Camargo. Glorinha revela a flor que tem um aroma parecido com o do perfume que a apresentadora usava.

“Tem uma flor, a Rosa Searosa, que tem o cheiro igual ao perfume que a Hebe usava, e eu sempre lembro dela”, relembra Glorinha.

Mas a história de Glorinha tem muitos outros capítulos que você vai adorar conhecer dando play no vídeo abaixo:


Esse conteúdo é uma colaboração entre Lancôme e Razões para Acreditar. Para ler outras histórias de floriculturas que compartilham a felicidade, clique aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem com Mucopolissacaridose ganha vida nova com tratamento adequado e mostra que pode ser feliz com a sua condição

“Graças a Deus e ao tratamento, me sinto bem e gosto de sair, ir em shows, na praia”, diz a cearense Francisca Danielle, de...

2 bailarinos fazem história e são os primeiros líderes de torcida homens, nos EUA

Você já parou pra perceber que nos filmes americanos não existem líderes de torcida homens? Isso não acontece somente nas telas do cinema, já...

Pai hackeia game Donkey Kong para filha poder controlar a namorada do Mario Bros

Triste ao ver a filha de três anos desapontada por não poder controlar Pauline, a namorada de Mario no seminal jogo da Nintendo “Donkey...

Cãozinho que foi atropelado não consegue parar de sorrir após finalmente ser adotado

Enquanto esteve temporariamente em um abrigo de cães de Dallas, no Texas (EUA), o cãozinho Sanford era descrito pelos voluntários como um 'cachorro de...

Instagram

“Vendo flores apenas para a felicidade”, diz florista que não vende coroas de flores há 46 anos 7