Funcionária de sorveteria consola cliente que perdeu cachorrinha: ‘muito lindo da parte dela’

A Gotinha tinha nove anos de vida e era o xodó da família de Patrícia, que ganhou a cachorrinha de presente para o filho quando ela ainda estava grávida. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A cadelinha ajudou a dona a superar a depressão. Quando recebeu a notícia da morte da cachorra, Patrícia caiu no choro e foi aí que a garçonete de uma sorveteria se sensibilizou, abraçou e acolheu a cliente.

Gotinha foi atacada por outro cachorro de maior porte que estava provisoriamente na casa da família. Ela não resistiu e o marido de Patrícia informou da perda do bichinho de estimação por telefone. Patrícia tinha acabado de pedir um sorvete, um café e uma água. 

“Quando a atendente veio deixar o pedido, ela viu meu sofrimento, encheu os olhos de lágrima, e me ofereceu um abraço. Aquilo foi tão forte, ela sentiu a minha dor“, relatou.

Cachorrinha ajudou dona a superar depressão
Gotinha 💜Foto: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A garçonete perguntou a Patrícia se queria que ela a levasse até o estacionamento. A gerente da sorveteria também se aproximou e falou que ela poderia retornar depois para tomar seu café e seu sorvete. “Elas não sabiam o que tinha acontecido porque eu não conseguia falar, só chorava e tremia. Elas foram muito sensíveis”, disse.

Leia também: Pizzaria ensina garoto que estava chorando a fazer pizza para acalmá-lo

Um mês depois, Patrícia retornou ao Bacio Di Latte do Shopping Boulevard, em Belo Horizonte, para contar o que aconteceu e agradecer. “Elas agradeceram por eu ter retornado porque ficaram muito preocupadas”, relatou.

Cachorrinha era um presente para o filho, mas ajudou mãe a superar depressão

Gotinha foi um presente que a família recebeu quando Patrícia estava grávida. Ela teve depressão e a cadelinha a ajudou a superar a doença. 

“Mesmo quando ela estava do lado de fora de casa, ela ficava encostadinha na parede do cômodo em que eu estivesse para ficar mais próxima de mim. Era o nosso docinho“, disse Patrícia, justificando o tamanho do amor e do choque quando ela recebeu a notícia da morte da cadela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cachorrinha que salvou dona da depressão

A garçonete tornou um pouco menos dolorida a notícia da morte da Gotinha. “Eu achei tão generoso, tão bonito da parte dela, sabe? A atendente me abraçou e se entristeceu comigo. Foi muito bonito da parte dela porque hoje a gente vê tantas pessoas chorando e a gente fica tão insensível a aproximar das pessoas“, concluiu.

Essa atitude é uma gotinha de esperança em nossos dias. Que mais pessoas possam seguir o exemplo da atendente, afinal, nunca sabemos o que se passa na vida de outra pessoa, ainda mais num momento de dor, quando é extremamente difícil digerir e expressar o que estamos sentindo. Seja um ouvido, um ombro ou um abraço! Isso só basta e custa nada. ❤ 

Fotos: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Por que o brasileiro de baixa renda doa 2 vezes mais que o de renda maior?

Essa é uma notícia contraditória. Não sei se me deixa triste ou feliz. Feliz por saber que o brasileiro é um povo generoso, mas...

Vídeo de menino agradecendo medula da irmã arrepia e emociona

Prepare o lencinho e vem se emocionar!

Quanto AMOR! Idoso dá banho em esposa na praia e prova que o amor verdadeiro resiste ao tempo [VÍDEO]

A cena de um idoso dando banho na sua esposa com água do mar usando um baldinho é definitivamente a “meta” de relacionamento pra...

Cachorro adotado por gari ganha uniforme e faz sucesso limpando ruas do RJ

Pretinho, o cachorro do gari Alcenir de Aguiar Oliveira, de 50 anos, ficou famoso em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Garoto de 12 anos inventa “super barco” capaz de sugar plástico dos oceanos

Com apenas 12 anos de idade, Haaziq Kazi já tem consciência que com nossas atitudes, podemos ajudar a preservar o planeta. Aluno do sétimo...

Instagram

Funcionária de sorveteria consola cliente que perdeu cachorrinha: ‘muito lindo da parte dela’ 2