Fundação vai pagar até R$ 1 milhão para os melhores projetos de despoluição da Baía de Guanabara

Estão abertas as inscrições para o LAB Viva Água, iniciativa que busca soluções para a restauração ecológica, resiliência hídrica e adaptação às mudanças climáticas na região hidrográfica da Baía de Guanabara, que compreende 17 municípios do estado do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza recebe inscrições de 1º de fevereiro a 3 de março e destinará até R$ 1 milhão em apoio financeiro para as melhores propostas. O processo é voltado a participantes de todo o Brasil – pesquisadores, engenheiros, urbanistas, ambientalistas, acadêmicos e qualquer pessoa que queira contribuir com ideias para restaurar e proteger a região hidrográfica da Baía de Guanabara.

O LAB Viva Água contempla dois desafios: desenvolver mecanismos e soluções financeiras que promovam a restauração ecológica e utilizar as cadeias produtivas sustentáveis para impulsionar a restauração ecológica.

Fundação vai pagar até R$ 1 milhão para os melhores projetos de despoluição da Baía de Guanabara

Todo o processo será 100% on-line, projetado para a co-criação de soluções práticas e multidisciplinares, sempre com foco no desenvolvimento social e econômico da região.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“A Baía de Guanabara tem importância histórica, simbólica, turística e ambiental para o Brasil, mas enfrenta um processo de degradação há anos. Por isso, a necessidade de agirmos para protegê-la, algo que só será possível com a participação de múltiplos atores”, comenta a diretora-executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes.

“E aqui nossa atenção não está voltada apenas ao espelho d’água que vemos no cartão postal. Queremos impactar toda a região hidrográfica que abastece a baía. Uma área que conta com nascentes e rios importantes que chegam até o mar e precisam ser cuidados”, completa.

Atualmente, a região hidrográfica da Baía de Guanabara conta com 172 mil hectares de cobertura florestal e 154 mil hectares de campos e pastagens, sendo uma importante fonte de serviços socioambientais para o Rio de Janeiro.

O objetivo do LAB Viva Água é co-criar projetos para qualquer área que precise de recuperação ambiental, inclusive nos 112 mil hectares de ocupação urbana. “Queremos demonstrar que, além dos retornos diretos dos serviços ambientais, é possível gerar renda para a comunidade local por turismo sustentável, agroecologia e outras atividades”, explica Malu.

Fundação vai pagar até R$ 1 milhão para os melhores projetos de despoluição da Baía de Guanabara

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Etapas

Na primeira fase do LAB Viva Água, pessoas de todo o Brasil interessadas em propor soluções ou contribuir para a restauração da região da Baía de Guanabara podem se inscrever. Os organizadores selecionarão quem segue para os encontros de cocriação (LAB) com base em critérios relacionados com o currículo, experiência prévia e parcerias no território e conhecimento sobre o tema.

Na segunda fase, que vai de março a abril, serão realizados workshops e palestras on-line para a cocriação das soluções. Nessa etapa, cada proposta será aperfeiçoada e receberá contribuições de outros atores. Após os encontros virtuais, um comitê julgador escolherá até 15 soluções para participar da terceira etapa, de detalhamento.

“Caso o participante já tenha um projeto desenhado, em andamento ou mais adiantado, poderá inscrevê-lo sem participar dos encontros de cocriação, para que a proposta possa concorrer a vaga na terceira fase. Essa é uma facilitação para não perdermos soluções que estejam mais desenvolvidas. Tanto as soluções cocriadas nos encontros quanto as enviadas prontas irão para avaliação de um comitê de especialistas”, explica a gerente de Ciência e Conservação da Fundação Grupo Boticário, Marion Bartolomei Silva. A inscrição de propostas prontas e/ou em desenvolvimento ocorrerá de 16 de março a 11 de abril.

Na terceira e última fase, de 10 a 24 de maio, as soluções receberão mentorias para que possam ser aprofundadas e terem sua viabilidade construída. A divulgação das propostas que vão receber o apoio financeiro de até R$ 1 milhão da Fundação Grupo Boticário está prevista para acontecer até setembro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sobre o LAB Viva Água

O LAB Viva Água é um dos formatos da teia de soluções, iniciativa da Fundação Grupo Boticário que reúne diferentes processos e metodologias de cocriação e desenvolvimento de soluções para os principais desafios ambientais e que contribuam também com o desenvolvimento socioeconômico.

O LAB está alinhado regionalmente às principais políticas públicas de meio ambiente, como o Programa Pacto pelas Águas, criado em 2015 e que tem como objetivo proteger e recuperar mananciais estratégicos de abastecimento do Rio de Janeiro, de modo a garantir o bem-estar humano, a segurança hídrica e a saúde dos ecossistemas associados à água a médio e longo prazos.

A iniciativa também se alinha globalmente à Década da Restauração de Ecossistemas da Organização das Nações Unidas (2021-2030), que tem como objetivo inspirar e apoiar múltiplos setores da sociedade – governos, sociedade civil, setor privado, jovens, grupos de mulheres, agricultores, comunidades locais, entre outros – para colaborar, desenvolver e catalisar iniciativas de restauração ecológica nos diversos ecossistemas de todo o mundo.

Sobre a Fundação Grupo Boticário

Com 31 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira.

A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos.

Já apoiou cerca de 1.600 iniciativas em todos os biomas no país. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas.

A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

Fotos: LAB Viva Água

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,806,528SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com peças minimalistas e sustentáveis, marca brasileira prioriza o conforto das mulheres

Lançada no mês de março deste ano, a marca brasileira Ada busca valorizar a sustentabilidade e o feminino nas suas peças. A marca quer...

Menina de 12 anos funda biblioteca popular em povoado no interior da Bahia

Só desenvolvemos o hábito da leitura quando temos acesso a livros, jornais, internet, etc. Mas, não é todo mundo que tem esse privilégio, principalmente...

Paraibana com câncer raro de pele ganha vaquinha para fazer quimioterapia de alto custo

Edivânia tem 36 anos e mora em Soledade, no coração da Paraíba. Desde seus 12 anos de idade, ela possui uma síndrome chamada Gorlin-Goltz,...

A essência da infância em uma série incrível de fotos

Nessa série de fotos, o fotógrafo alemão Adrian Sommeling, procura capturar a essência e a beleza da infância ao retratar seu filho de seis anos...

Garoto ajuda funcionário a recolher caixas de bombom do chão e dá exemplo de generosidade

Surpreso, o funcionário ofereceu ao garoto uma caixa de bombom para recompensar sua generosidade.

Instagram

Fundação vai pagar até R$ 1 milhão para os melhores projetos de despoluição da Baía de Guanabara 4