Array

[VÍDEO] Gari dá verdadeira aula de história para explicar o racismo no Brasil

Tudo começou quando o gari Jr Jota publicou 2 fotos em seu Facebook. A primeira, era de um grupo de médicos brasileiros onde não havia um só negro e a segunda, um grupo de garis do Rio de Janeiro, onde todos eram negros. Seu objetivo era propor uma discussão sobre o racismo estrutural brasileiro, mas muitas pessoas o criticaram, dizendo que ele estava de “mimimi”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para explicar aos internautas que aquilo não era “mimimi”, Jota decidiu apagar as 2 fotografias e postar um vídeo explicativo, que é uma verdadeira aula de história, que todos os brasileiros deveriam assistir. Durante 6 minutos ele consegue criar uma linha do tempo desde os tempos da escravidão até hoje, estabelecendo uma ligação real entre a situação dos negros hoje no Brasil, mostrando para quem o criticou que a situação é mais séria do que eles acham.

Sabemos que a abolição da escravidão no Brasil se deu em 1888 e que nosso país foi um dos últimos a acabar com a prática, mas dizer que a escravidão foi abolida talvez seja uma afirmação um tanto imprecisa, já que isso não significa que os negros magicamente conseguiram trabalhar e a ganhar espaço e respeito na sociedade brasileira.

Como o próprio Jota afirma: Quando o negro foi solto da escravatura no Brasil, ele foi simplesmente largado”. Os negros deixaram de ser escravizados, mas como não sabiam ler, nem escrever, continuaram a viver no submundo e a fazer os trabalhos que ninguém queria fazer. Sem condições de viverem nas grandes cidades, passaram a viver nas periferias, formando as favelas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A questão é que, é muito fácil os brancos dizerem que as fotos que Jota postou eram “mimimi”, mas antes de mais nada é preciso aprender a história, para ser possível de compreender o que acontece hoje. Sim, infelizmente o Brasil ainda é um país racista e os negros ainda sofrem diversos tipos de preconceitos, como o gari faz questão de expor: “Então sim, não é igual. O Brasil é sim um país racista. A gente tem sim coisa pra reclamar. Se você branco não sabe, é chato passar na rua e na mesma hora a polícia te parar”.

Vaquinha para jovem que foi preso injustamente conseguir ter um lar para recomeçar sua vida. Clique aqui e contribua.

Para compreendermos a situação atual é necessário que saibamos reconhecer nossos problemas e nossa história. É fundamental que as pessoas privilegiadas saibam reconhecer que o racismo existe até hoje e a aula de Jota talvez possa ajudar. Assista o vídeo abaixo:

Com informações de Hypeness

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fotos: reprodução vídeo Facebook /  Jr Jota

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,848SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Fotos de noiva que transformou seus amigos em ‘madrinhos’ viraliza na internet

Rebeca Abrantes de 24 anos , foi uma noiva como qualquer outra, a não ser pela ideia inusitada que teve para o seu casamento:...

Arte e esporte fortalecem vínculos e abrem possibilidades para crianças e jovens

(Por Claudia Corbett) Os olhos de Beatriz brilham quando ela fala de balé clássico. Aos seis anos conheceu a dança no Centro Promocional Nossa Senhora...

Filho de terrorista, Zak Ebrahim optou pela paz e hoje é ativista pacifista

Segundo ele, 99% das situações podem ser resolvidas sem uso da violência, afinal, não se combate guerra com guerra.

Menino faz festa de aniversário com o tema implante auditivo

Cada detalhe da decoração foi pensado em torno do seu implante auditivo.

Como apoiar uma mulher que luta contra o câncer de mama

O que fazer caso o diagnóstico dê positivo? A agência de publicidade F/Nazca Saatchi & Saatchi se uniu à Fundação Laço Rosa para ajudar a responder essa pergunta.

Instagram

[VÍDEO] Gari dá verdadeira aula de história para explicar o racismo no Brasil 3