Gari com deficiência visual é aprovado no Enem e vai cursar História na UFG

O goiano Rogério Gomes da Silva, 37, que atualmente trabalha como gari é dos mais recentes aprovados para o curso de História (bacharel) na Universidade Federal de Goiás (UFG).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Rogério é cego, tendo perdido completamente sua visão há cerca de três anos. No entanto, a limitação não o impediu de correr atrás de seu objetivo. Com a aprovação via Sisu, ele se matriculou no curso na segunda-feira, 4.

O sonho do agora estudante sempre foi tornar-se professor, e ele conta que agora está ansioso nesta nova fase de sua vida. “Desde muito novo venho ultrapassando barreiras e isso foi fruto do meu esforço. Vendo as dificuldades do dia-a-dia, a única solução é estudar”.

Após passar por algumas dificuldades em concluir o ensino médio, em 2016, Rogério afirma que vinha se preparando para realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Ele contou com o apoio de sua família, e conseguiu conciliar o trabalho, de carga horária e física pesadas, com os estudos. O resultado veio logo em seguida: aprovação na UFG.

Todo o material de estudos utilizado eram feitos de apostilas em braille lidos por sua filha de 17 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémApós matéria do Razões, gari responsável pela sobrevivência de mais de 400 famílias reencontra filhas e irmãs

O futuro historiador descobriu um glaucoma quando tinha 13 anos. A doença lhe causou uma alteração do nervo óptico que deixou um dano irreversível das fibras nervosas e a perda completa da visão.

Profissão

Rogério trabalha no Viveiro Redenção, setor Pedro Ludovico, em Goiânia com uma equipe que corta e põe terras nas embalagens recicláveis utilizadas na confecção de mudas, emprego que exerce desde 2006 – quando foi aprovado no concurso público da Companhia de Urbanização de Goiânia – , quando tinha aproximadamente 10% da visão.

Os seus colegas de profissão martelam: “Rogério é um homem comprometido e determinado”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já Aristóteles de Paula, presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia, diz que os esforços de Rogério comprovam que quando há força de vontade, não há limitações que impeçam um excelente trabalho. “Estamos felizes com a aprovação, pois isso demonstra não haver limites para quem tem um sonho”, conclui.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias) em

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também“Filha de pobre também pode ser médica”: Ex-aluna de escola pública tira nota 1000 na redação do Enem

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Mais Goiás

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,755SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cientista brasileira desenvolve bioinseticida que mata larvas do mosquito Aedes aegypti

Segundo a cientista, o bioinseticida, apelidado de Inova-Bti, mata apenas as larvas do mosquito. Além disso, o produto não é tóxico e nem causa riscos à saúde humana ou de animais domésticos.

Ex-morador de rua vence vício nas drogas e passa no vestibular

Após anos de luta, o ex-morador de rua Eulles Nathan Souza, 27 anos, largou o vício nas drogas e abraçou os estudos. Ele acaba...

Ferramenta criada por brasileiros para deficientes auditivos transforma voz em texto

A extensão para navegador What They Say promete transformar a forma como esse público estuda, trabalha e se comunica na web.

Essa simples invenção vai mudar a vida de muitas meninas humildes em seu período menstrual

Para as meninas que vivem em extrema pobreza em todo o mundo, menstruar pode ser uma provação particularmente difícil. Artigos sanitários muitas vezes são inacessíveis, o que significa...

Alunos arrecadam mais de 2 mil peças de vestuário para população carente de Santos (SP)

O “Varal da Calçada” arrecadou mais de 2 mil peças durante o primeiro mês de aula. As roupas, sapatos e outros acessórios foram doados para a população carente do centro da cidade de Santos (SP).

Instagram

Gari com deficiência visual é aprovado no Enem e vai cursar História na UFG 1