Garota com hidrocefalia realiza o sonho da festa de debutante e dança com seu melhor amigo com Down

Muitas meninas ainda sonham com a festa de debutante quando fazem 15 anos. Esta festa ainda ronda o imaginário das pessoas e representa um verdadeiro marco. Não foi diferente com Heloíza Carmona, de Rio Preto, interior de São Paulo. Desde criança a jovem sonhava com este dia, mas para ela foi mais importante do que para a maioria das mulheres, já que ela nasceu com hidrocefalia, condição que provoca o acúmulo de água no cérebro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Heloíza desde sempre aprendeu a lutar pela sua vida, então muito mais do que uma festa de aniversário, sua festa de 15 anos foi uma verdadeira celebração da vida. Ela, que é muito criativa, já escreveu um livro e ela aproveitou a festança para fazer o lançamento.

Sua vida foi marcada por grandes batalhas. Com apenas 12 horas de vida ela realizou a primeira de várias cirurgias, da qual teve de implantar uma válvula para drenar o líquido do cérebro. Entretanto, depois de 15 dias a válvula entupiu e o procedimento teve que ser refeito. No ano passado, ela precisou implantar a terceira válvula no cérebro e superou as expectativas dos próprios médicos: “Ela colocou a válvula de dreno e tinha poucas chances de vida, não sabia na verdade o que sentir, se esperava a partida dela ou se teria forças para ajudá-la”, disse a mãe.

Um dos médicos responsáveis pela operação da garota não esconde sua admiração: “Você é um exemplo de superação. Tivemos algumas batalhas nos últimos anos contra a hidrocefalia as quais você venceu. Você serve de exemplo para todos os brasileiros que têm este problema. Além de superar a doença, você sempre mostrou felicidade e perseverança”, disse o neurocirurgião Ricardo Caramanti.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Amigos e familiares nunca mais esquecerão o dia em que Heloíza realizou o seu grande sonho de debutar. Nestas horas que durou a festa, eles puderam esquecer de seus problemas e apenas agradecer por estarem vivendo este momento tão esperado. Heloíza  também fez questão de dançar valsa com seu melhor amigo, Álvaro. Álvaro tem síndrome de down e desde sempre eles são inseparáveis.

Se desde as primeiras horas de vida, Heloíza precisou mostrar sua força e resiliência, ela mostra que com as dificuldade ela não somente aprendeu, como faz questão de inspirar outros jovens que vivem situações parecidas. Ela finaliza seu livro com a seguinte a frase, que serve de inspiração para todos nós, para que saibamos agradecer a saúde a a valorizar tudo o que já conquistamos: “Deus pode até fechar uma porta, mas ele vai abrir três. Nada é por acaso, Deus sempre tem um propósito na vida da gente”. 

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com informações de Deficiente Ciente

Fotos: reprodução TV TEM

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,637,823SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Garotinho vê mulheres se casando e grita: “Mãe, olha, 2 princesas!”

É difícil imaginar um mundo cuja tecnologia nos permite conhecer lugares a dezenas de bilhões de quilômetros de distância, desmistificar a extinção de espécies...

Estudantes consertam lâmpadas para doar a famílias carentes no AP

Estudantes de engenharia elétrica da Universidade Federal do Amapá (Unifap) decidiu se unir para ajudar famílias carentes de Macapá e, de quebra, o meio ambiente. Quando...

Poema sobre o amor de um homem com Transtorno Obsessivo-Compulsivo

O escritor Neil Hilborn já ganhou diversos prêmios de poesia e escrita criativa. Nesse poema, ele expõe seu próprios sintomas de Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC),...

Colégio tradicional no Rio acaba com distinção de uniforme por gênero

O Colégio Pedro II é um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro, mas acaba de extinguir uma tradição que não faz o menor...

Foto de senhora de 101 anos segurando tataraneta de duas semanas comove internet

Depois de postar uma imagem comovente de sua bisavó Rosa Camfield de 101 anos de idade segurando sua tataraneta com duas semanas de vida, Kaylee, vários leitores...

Instagram