Garoto que sofreu bullying no 1º dia de aula é acolhido por veteranos

Cale Wrenn, 14 anos, e sua família precisaram mudar de cidade, e consequentemente, ele precisou trocar de escola. Em seu primeiro dia de aula, o calouro passou por algumas situações angustiantes, mas com a ajuda dos veteranos do ensino médio, ele conseguiu superar tudo isso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com dificuldades para fazer amigos na Reidsville High School, na Carolina do Norte (EUA), e sendo alvo de chacotas por parte de alguns garotos que o julgavam ser “muito baixo”, Cale logo se isolou dos demais alunos em seu primeiro dia na nova escola.

Ajude uma mãe que cuida de quatro filhos com paralisia cerebral

Frustrado com a situação, Cale pediu ajuda à irmã mais velha, Leah Edwards. Na conversa, ele chegou a dizer que “era um perdedor por ser muito baixo” e que “merecia ter ido almoçar sozinho no recreio” por causa disso.

Ajuda para o irmão

Leah ficou com o coração partido e decidiu fazer alguma coisa para ajudar o irmão. Ela printou a conversa com Cale e a postou no Twitter, pedindo aos seus seguidores que enviassem mensagens de apoio e acalento para o garoto.

O jovem não apenas recebeu uma enorme quantidade de mensagens de encorajamento de pessoas do mundo todo, mas também dos veteranos do ensino médio de sua escola, que ficaram sensibilizados com a mensagem de Leah.

Ajude uma mãe que cuida de quatro filhos com paralisia cerebral

Segundo dia de aula

Demontez Canada, que é membro dos times de futebol e basquete da Reidsville High School disse ao portal WLKY: “Decidimos pegar [Cale] desprevenido no almoço e almoçar com ele, mostrar a ele a escola e garantir que ele estava bem e dar-lhe novas informações. Nos tornamos seus amigos”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também:

Ao lado dos seus amigos do time de basquete e futebol da escola, Demontez sentou-se com Cale no almoço e o colocou “debaixo de suas asas”.

Cale ficou surpreso com a gentileza dos alunos e conta ter ficado “muito feliz e agradecido pela intervenção deles”.

“Foi muito bom saber que existem pessoas que se importam”, disse.

O rapaz agora espera que sua história ajude outras crianças intimidadas a manter o queixo erguido e lembrar que as coisas sempre tendem a melhorar.

Ao lado dos novos amigos, Cale fez questão de agradecer à sua irmã pela ajuda e pela “melhor experiência de sua vida” – seu segundo dia de aula na nova escola. Confira abaixo:

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: GNN/Fotos: Reprodução/Twitter

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,415,745SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Uma cachorra que adotou crianças que foram abandonadas pela mãe alcoólatra

Depois que a mãe de Mbogo, de 7 anos e Mbogo, de 6 anos, abandonou os filhos por ter se tornado alcoólatra, a cachorra...

Aprenda Photoshop e Illustrator e ainda ajude uma casa de idosos em SP

Sabe aquelas pequenas coisas do dia a dia que você tem que pedir para o amigo designer te ajudar a fazer? Pois é, nosso...

Pastoras evangélicas se unem para combater violência contra as mulheres nas igrejas

A iniciativa visa promover a sensibilização dos líderes das igrejas sobre o tema, além de capacitar as vítimas que não possuem independência financeira.

Ela venceu a leucemia e decidiu virar médica para salvar pessoas com a mesma doença

Inspirada pela equipe médica que a acompanhou durante todo o tratamento, Marina decidiu que iria cursar Medicina.

Prefeitura de Curitiba cria ação em Snapchat para chamar atenção ao desaparecimento de crianças

Em mais uma ação certeira e criativa, a Prefeitura de Curitiba utilizou o Snapchat, rede social em que você envia vídeos que após serem...

Instagram