Gata com cromossomo extra ensina crianças sobre inclusão e respeito às diferenças

Clique e ouça:

Pouco depois de nascer, a gata Maya foi encontrada em uma lixeira por voluntários da ONG Odd Cat Sanctuary e levada para um abrigo, onde morou por vários meses.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela foi adotada pelo casal Laura Beader e Harrison Makofsky. Em seu novo lar, ganhou uma oportunidade de ser amada e feliz.

Maya nasceu com um cromossomo extra e por isso ela tem uma aparência diferente dos outros gatos.

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
A gatinha Maya nasceu com um cromossomo extra. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sabendo da falta de informação sobre a síndrome, Laura e Harrison criaram uma conta para Maya no Instagram, onde ela tem mais de 455 mil seguidores!

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Os pais de Maya lançaram um livro da gatinha que ensina sobre inclusão e respeito às diferenças. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

O perfil virou um espaço de ajuda para pessoas e animais com a mesma alteração genética.

Livro para as crianças

Para expandir sua linha de apoio, os pais de Maya lançaram no mês passado o livro Meet Maya Cat (“Conheça a Gata Maya”, em tradução livre).

Direcionado para as crianças, orienta os pequenos sobre como tratar bem as outras pessoas e os animais, mesmo que eles sejam diferentes da maioria.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Todos os lucros da venda do livro serão doados para a ONG que cuidou e resgatou Maya no momento que ela mais precisava, além das Olimpíadas Especiais de Massachusetts (EUA).

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Maya com seus papais. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Um casal teve uma ideia criativa para confortar sua gatinha quando ela fica sozinha em casa. Garanto que você vai se divertir, clique aqui para ler.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[Nota de Redação]

O seu Zezinho tem 68 anos e nunca foi à escola. Ele queria muito aprender o alfabeto e finalmente poder escrever o próprio nome. Gentil toda vida, uma professorinha de 9 anos começou a ensinar o vendedor de picolé a ler e escrever.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: SNB

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,026,151FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
11,931SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Brasileira voluntária da 2ª Guerra Mundial é hoje voluntária na luta contra o Coronavírus

A dona Blandina era adolescente quando confeccionou luvas para os soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na 2ª Guerra Mundial. Lá se...

Jovens antecipam casamento após saber que um deles tem apenas 5 meses de vida

Se você, assim como eu, se acabou de chorar vendo "Um amor para recordar" lá em 2002, se prepare: essa história é real, e...

Policiais unem-se a manifestantes em ato contra racismo e violência, nos EUA

É preciso tomar muito cuidado com generalizações, afinal, a profissão e a raça de uma pessoa não podem a definir. E para provar isso, diversos...

Batismo de bebê conta com bençãos de familiares católicos, espíritas, evangélicos e umbandistas

Quando completou três meses de vida, o pequeno Iago recebeu as bençãos de sua família, cada qual à sua maneira: uma avó é católica,...

Surfistas vão todos os dias à praia para salvar vidas e recebem gratidão de banhistas

Só quem já passou pelo susto de perder o controle ao nadar em um mar ou uma piscina sabe o tamanho do alívio quando...

Instagram