Gata com cromossomo extra ensina crianças sobre inclusão e respeito às diferenças

Pouco depois de nascer, a gata Maya foi encontrada em uma lixeira por voluntários da ONG Odd Cat Sanctuary e levada para um abrigo, onde morou por vários meses.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela foi adotada pelo casal Laura Beader e Harrison Makofsky. Em seu novo lar, ganhou uma oportunidade de ser amada e feliz.

Maya nasceu com um cromossomo extra e por isso ela tem uma aparência diferente dos outros gatos.

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
A gatinha Maya nasceu com um cromossomo extra. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sabendo da falta de informação sobre a síndrome, Laura e Harrison criaram uma conta para Maya no Instagram, onde ela tem mais de 455 mil seguidores!

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Os pais de Maya lançaram um livro da gatinha que ensina sobre inclusão e respeito às diferenças. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

O perfil virou um espaço de ajuda para pessoas e animais com a mesma alteração genética.

Livro para as crianças

Para expandir sua linha de apoio, os pais de Maya lançaram no mês passado o livro Meet Maya Cat (“Conheça a Gata Maya”, em tradução livre).

Direcionado para as crianças, orienta os pequenos sobre como tratar bem as outras pessoas e os animais, mesmo que eles sejam diferentes da maioria.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Todos os lucros da venda do livro serão doados para a ONG que cuidou e resgatou Maya no momento que ela mais precisava, além das Olimpíadas Especiais de Massachusetts (EUA).

Gata síndrome de Down livro inclusão respeito diferenças
Maya com seus papais. Foto: Reprodução/Instagram @meetmayacat

Um casal teve uma ideia criativa para confortar sua gatinha quando ela fica sozinha em casa. Garanto que você vai se divertir, clique aqui para ler.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[Nota de Redação]

O seu Zezinho tem 68 anos e nunca foi à escola. Ele queria muito aprender o alfabeto e finalmente poder escrever o próprio nome. Gentil toda vida, uma professorinha de 9 anos começou a ensinar o vendedor de picolé a ler e escrever.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: SNB

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,836,848SeguidoresSeguir
24,755SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Listamos diversos serviços que estão gratuitos para você usar durante a pandemia do coronavírus

Ficar em casa, só sair quando realmente for necessário, é uma das principais recomendações para a prevenção do coronavírus. Juntamente com lavar bem as mãos...

Em menos de 48h, bate a meta da vaquinha do tatuador que maquia esposa tetraplégica

Com o dinheiro da vaquinha, Jimme vai poder contratar profissionais para darem uma melhor qualidade de vida à Dani e voltar a trabalhar, além de dar mais atenção às filhas pequenas.

Moradores de SP se únem para criar miniflorestas públicas na cidade

As mudas plantadas foram patrocinadas pelos próprios moradores da região, que colocaram a mão na massa (ou melhor, na terra) para fazer a iniciativa acontecer – com a supervisão de Cardim. Agora, a empresa Farah Service será parceira da comunidade na manutenção da minifloresta.

Mãe prova que médico errou no diagnóstico do filho

Devido à falta de oxigenação no cérebro na hora do parto, o médico disse que o filho de Francisca não teria mais do que uma semana de vida.

Instagram

Gata com cromossomo extra ensina crianças sobre inclusão e respeito às diferenças 1