Diariamente, cobrador ajuda deficiente visual a entrar em ônibus no DF – veja o vídeo


cobrador ajuda cego a entrar em ônibus todos os dias
PUBLICIDADE ANUNCIE

Deficiente visual desde o nascimento, Roberto Carlos Moreira, 53 anos, pega todos os dias o ônibus da linha 501.3, no bairro Riacho Fundo II, em Brasília, em direção ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran), onde trabalha na área de telefonia. Desde que conheceu o cobrador Rafael Almeida, 27 anos, e o motorista Edelcio Gonçalves dos Santos, 60 anos, o percurso da porta do ambulatório até a entrada no coletivo ficou muito mais fácil.

Ao término do expediente, meio-dia, o funcionário do Hran deixa o serviço e espera pela chegada de Rafael, que vai até a porta do hospital para buscá-lo, alguns metros distante do ponto. Aguardando ali, Edelcio fica com o veículo parado até Roberto subir e se acomodar no ônibus.

Ajuda para universitária que ficou tetraplégica perto de se formar

cobrador ajuda cego a entrar em ônibus todos os dias no DF

Amizade entre cobrador, motorista e passageiro

O cobrador conta que já fica atento quando o ônibus se aproxima da parada, para buscar Roberto e seguir o percurso. “A gente percebeu que várias pessoas passam por ele e não ajudam, mesmo com a clara dificuldade dele em chegar aqui no ponto. Então, resolvemos ajudar e acabamos até fazendo amizade com ele”, conta Rafael.

Leia também: Mari Palma emociona ao revelar que pai cego fica em frente à TV para prestigiá-la

PUBLICIDADE ANUNCIE

Edelcio, que trabalha como motorista há mais de três décadas, relembra como eles se conheceram. “Sempre que parava naquele lugar, via a dificuldade do Roberto. Daí, falei para o Rafael, que é sempre muito comunicativo: ‘Pega ele lá para nós’. Depois desse dia, virou rotina e nós nos tornamos colegas”.

Seu Roberto conta que o gesto de gentileza ao próximo dos ‘rapazes do ônibus’ são muito importantes no seu dia a dia, mas reclama da falta de acessibilidade crônica da cidade. “Quando vou para casa, é sempre um malabarismo, porque na quadra que moro falta muita acessibilidade para a comunidade cega. Encontrar pessoas assim, que se mobilizam para nos ajudar, é muito bom. Mas a comunicação é essencial para tudo isso”, ressalta.

Ajuda para universitária que ficou tetraplégica perto de se formar

As filmagens que mostram a boa ação do cobrador e motorista foram registradas e publicadas nas redes sociais por Larissa Crhistini Mendes Almeida, uma recepcionista que embarca na linha 501.3 todos os dias.

O vídeo postado em seu perfil do Twitter já obteve mais de 80 mil visualizações. “Achei uma cena muito bonita. Descer daquela cadeira de cobrador é bem difícil: ele tem de fazer bastante esforço para ir lá buscar o homem cego. Aí, decidi filmar e postar, porque a gente não vê muitas pessoas fazendo isso”, explica.

Veja o vídeo abaixo:

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Metrópoles/Fotos: Reprodução

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar