Judeus abrem sinagoga para muçulmanos que tiveram mesquita queimada


judeus cedem sinagoga para mulçumanos
PUBLICIDADE ANUNCIE

Judeus dão exemplo de tolerância e empatia em épocas de bloqueios de cidadãos de outros países.

Na manhã do dia 30, membros do Centro Islâmico Victoria, Texas, nos Estados Unidos, foram notificados de que sua mesquita havia sido destruída por um incêndio na noite anterior, mas felizmente eles não estavam sozinhos quando precisaram de ajuda, pois judeus e membros de outras religiões se prontificaram a ajudar.

O incidente aconteceu horas depois do presidente Donald Trump ter assinado uma ordem que bloqueia a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana nos Estados Unidos. No entanto, ainda não se sabe a causa verdadeira do incêndio.

Judeus cedem sinagoga para muçulmanos

Mas, as vítimas não estão sozinhas nesse momento de dor, alimentado pela intolerância de Trump. Líderes de diferentes religiões se juntaram para oferecer apoio. Os membros do templo judaico Congregação B’Nail foram os primeiros. Eles entregaram uma das chaves da sinagoga para um dos fundadores da mesquita.

“Ficamos muito felizes em fazer isso”, disse Melvin Lack, tesoureiro da Congregação B’Nai Israel ao USA TODAY. “Você sente o que está acontecendo na comunidade e todo mundo reage.”

Foto do que sobrou da mesquita

PUBLICIDADE ANUNCIE

Também foi criada uma campanha no site GoFundMe para arrecadar o dinheiro para a reconstrução da mesquita. Pouco tempo depois, mais de US $ 1 milhão tinha sido doado, superando em muito a meta inicial de US $ 850 mil.

“Nossos corações estão cheios de gratidão pelo grande apoio que recebemos”, escreveu o organizador da campanha, Omar Rachid. “A demonstração de amor, palavras amáveis, abraços, mãos de ajuda e as contribuições financeiras são exemplos do verdadeiro Espírito americano e da Humanidade no seu melhor.”

judeus e pessoas de outras religiões manifestaram apoio
Foto: REUTERS / Mohammad Khursheed

Leia também:

Relato sobre marido que ‘não ajuda esposa’ é a melhor aula de companheirismo que você vai ler

Conheça a cadeia sem policiais, nem armas e que nunca teve uma rebelião no país

Dani Suzuki mobiliza governo e classe artística para trazer crianças sírias refugiadas ao Brasil

Esta não é a primeira vez que diferentes organizações religiões da cidade apoiam uma a outra em situações como essa. Em 2008, o próprio Templo B’Nail Israel teve suas paredes pichadas com símbolos da suástica e outros insultos anti-semitas. Os vândalos foram identificados e o templo fo limpo.

“Durante todo esse período, as igrejas e a comunidade muçulmana, todos derramaram seus corações sobre nós e disseram que isso é horrível”, diz Lack.

Veja também: Berlim cria a primeira sinagoga-mesquita-igreja do mundo

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar