Vencedor de luta se comove com a história do adversário e doa o prêmio [VÍDEO]


Vencedor de luta se comove com a história do adversário e doa o prêmio [VÍDEO] 1
PUBLICIDADE ANUNCIE

O lutador Filipe Esteves conquistou neste sábado (17) o cinturão do Brazil MMA, em Salvador (BA), ao vencer Rildeci Escorpião no segundo round.

Esta foi sua sétima vitória consecutiva no esporte – está invicto! No entanto, isso acabou ficando de lado quando Filipe anunciou que doaria a bolsa do combate ao seu oponente.

Sensibilizado por saber que Rildeci viajou cerca de 2 mil quilômetros (35 horas de viagem) de Belém (PA) até a capital baiana por uma bolsa no valor de R$ 500, o lutador decidiu ajudá-lo.

Ajuda para atleta de jiu-jitsu que vende biscoitos para competir

Filipe teve a iniciativa de fazer a doação às vésperas do evento, ao tomar conhecimento que seu adversário havia cruzado o Norte e o Nordeste por um confronto que mal cobriria os gastos da viagem.

“Eu estava olhando as lutas dele no Instagram, vi que era um cara humilde. O evento não paga passagem, a bolsa é de R$ 500. Estava conversando com meu pai, José Carlos, como a situação do atleta brasileiro é uma [porcaria]. Sou da seleção de wrestling, sei das dificuldades. Muitos colegas desistiram do esporte devido à questão financeira. Eu soube da batalha do Rildeci, que veio de Belém do Pará para Salvador de ônibus, em busca do sonho. Deve ter gasto R$ 300 de ônibus (a passagem, na realidade, custa R$ 427), ainda tem que comer na estrada… Vai lutar por R$ 200? É quase de graça, vai pagar para lutar. Falei ao meu pai: ‘Vou dar a bolsa para ele’. É um dinheiro que vai ser melhor para ele do que para mim”, relatou o atleta.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por brazilmma .’. (@brazilmma) em

“Você merece, é batalhador. Levante a cabeça”

“Fiquei sentido. Eu falei: ‘Irmão, levanta a cabeça. Você saiu da sua cidade para vir até aqui de ônibus. Eu gostaria de te dar minha bolsa. Você merece, é batalhador. Levante a cabeça’. Ele começou a chorar, eu chorei também (risos). Ele agradeceu para caramba, me mandou vídeo no celular. Vida de atleta no Brasil não é para qualquer um. O que ele fez não é para qualquer um”, afirmou.

Lutador finaliza oponente mas se comove com sua história de vida e cede bolsa do combate

PUBLICIDADE ANUNCIE

Planos futuros

Pai de uma menininha de dez meses e integrante da seleção brasileira de wrestling, Filipe Esteves abriu mão do dinheiro mesmo necessitando, tornando sua atitude ainda mais nobre: o baiano realiza uma vaquinha online para arrecadar R$ 15 mil e ter condições de disputar o Campeonato Mundial Pré-Olímpico de Wrestling, no Cazaquistão, no próximo mês.

Ajuda para campeão de jiu-jitsu que vende biscoitos para ir a torneio em Nova York

O atleta também é professor de judô em uma escola para crianças, de onde tira o sustento, uma vez que não conta com nenhum patrocinador.

“Passagem para a Ásia é cara, tem a inscrição que é 500 dólares, hospedagem… Eu arrecadei cinco mil e pouco até agora. Estou dando seminários, os amigos estão ajudando. São dez etapas de competição. Se eu não conseguir ir nessa, vou tentar ir nas próximas. Só tenho meu “paitrocinador”, que me mantém no esporte. Dou aula de judô para crianças há dez anos, e wrestling em uma academia”, conta, lembrando do apoio que recebe do pai para continuar competindo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Filipe Esteves (@filipesteves_) em

Atualmente com 29 anos, Filipe tenta conciliar a carreira no MMA com a de atleta olímpico – soma quatro títulos brasileiros e quatro sul-americanos no wrestling. O objetivo da vez, porém, é entrar no UFC. “Eu assistia às fitas do UFC desce criança. Eu falei para o meu pai: ‘Vou lutar MMA’. E ele disse: ‘Você é duro, raçudo, será um bom lutador'”, afirma.

Leia também: Gari e lutadora profissional, atleta de Guarapari vence brasileiro de jiu-jitsu

“Sempre tive esse sonho. Tenho dois focos, mas o maior deles é entrar no UFC, vai mudar a minha vida. O esporte olímpico, financeiramente, não vai mudar. Tenho que pensar no meu futuro financeiro, tenho uma filha de 10 meses. Minha meta é entrar no UFC. O sonho olímpico ainda se mantém, mas está em segundo plano. Quero fazer duas ou três lutas ainda esse ano e espero entrar no UFC o mais rápido possível”, conclui.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: SporTV/Fotos: Reprodução/Instagram

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar