Vítima de assédio em ônibus é salva por bilhete de mulher desconhecida


Vítima de assédio em ônibus é salva por bilhete de mulher desconhecida no RJ
PUBLICIDADE ANUNCIE

Uma jovem relatou em um post do Facebook um episódio em que foi vítima de assédio em um ônibus no Rio de Janeiro. A publicação viralizou nas redes sociais.

Thaíza Paula descreve o momento de pânico que vivenciou na última quinta-feira (13) e a ajuda recebida de uma mulher desconhecida.

A moça trabalha como auxiliar de saúde bucal e confessa que jamais imaginou que passaria por tal situação. “Já tinha lido muitos casos, mas os colocava como uma realidade distante,” conta.

Durante o trajeto de ônibus até o trabalho, ela relata que um homem sentou-se ao seu lado e não parava de olhar para ela, estando inquieto a viagem toda.

[Conheça a história da Liliane: mulher, negra, periférica, que conseguiu uma vaga em uma das faculdades mais renomadas do mundo e criou uma vaquinha para custear os estudos, saiba como ajudá-la aqui.]

Angustiada e apreensiva, Thaíza conta que estava com medo demais para reagir, e que por um momento pensou que com tantas pessoas por perto, o homem não poderia fazer nada com ela.

“Eu não parava de pensar e, por mais que eu achasse que não tinha essa possibilidade, ele não parava de me olhar e de ficar inquieto observando quem estava a nossa volta”, completa.

Foi aí que uma passageira lhe cutucou e entregou um bilhete. “Eu estava assentada na frente e ela atrás, então ela percebeu que ele estava inquieto e ao mesmo tempo eu estava sem reação. Foi quando ela me cutucou e me entregou o bilhete. Eu tentei ler escondido mas ele ficava toda hora tentando ver o que era.”

PUBLICIDADE ANUNCIE

O bilhete, escrito improvisadamente na folha da agenda da mulher, dizia: “Moça, mexa na sua orelha direita, se esse cara ao seu lado estiver te incomodando. Meu nome é Camila, pode fingir que me conhece”. Depois de lê-lo, Thaíza começou a conversar com a aliada e sentou ao seu lado. “Logo o homem ficou sem entender o que estava acontecendo e desceu no próximo ponto.”

Leia também: Advogada orienta mulheres sobre como agir diante de assédio sexual no trabalho

A jovem conta que jamais imaginou que seu relato repercutiria tanto nas redes sociais. Ela espera poder reproduzir a atitude da parceira, se necessário: “Eu postei o caso, mas não imaginava tamanha repercussão. Fico feliz, pois são muitas apoiadoras parabenizando a atitude da Camila. Depois do que aconteceu comigo, ficarei mais atenta com outras mulheres para poder ajudar também”.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: BHAZ/Foto: Reprodução/Facebook

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar