Guarda de SP acolhe usuários de crack e moradores de rua na própria casa

O guarda municipal Marcos de Moraes, de 51 anos, faz muito mais do que só o seu trabalho de patrulha nas ruas do centro de São Paulo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em oito anos na GCM, ele já levou 50 usuários de crack e moradores em situação de rua para morar dentro da sua própria casa.

Claudiocir quando morava na rua (à esq.) e quando voltou para a sua família. Foto: Arquivo Pessoal
Claudiocir quando morava na rua (à esq.) e quando voltou para a sua família. Foto: Arquivo Pessoal

“Levo para casa mesmo. Sei que é um número pequeno, mas não me importo com quantidade, e sim com a qualidade. Quando pego um caso, vou até o fim”, disse em entrevista à BBC Brasil.

Moraes usa o Facebook para encontrar as famílias dos moradores em situação de rua. Foi na rede social que o guarda, inclusive, conheceu sua mulher, Karyne Santana Xavier de Moraes, de 29 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O jovem Felipe Furlán quando morava na rua (à esq.) e quando reencontrou sua mãe. Foto: Arquivo Pessoal
O jovem Felipe Furlán quando morava na rua (à esq.) e quando reencontrou sua mãe. Foto: Arquivo Pessoal

“Eu sempre compartilhava as postagens dele e a gente começou a conversar. Nos encontramos, namoramos dois anos e casamos”, contou ela.

Hoje, o casal vive em Mogi das Cruzes com o pedreiro Geraldo Martins, de 63 anos, que foi resgatado quando morava nas ruas de São Bernardo do Campo, também na Grande São Paulo. “Fico com pena e levo para casa”, disse ele.

Antonio era morador de rua, encontrou a família com a ajuda de Marcos e voltou para a casa no em Barbosa (SP), onde viveu cinco anos e morreu. Foto: Arquivo Pessoal
Antonio era morador de rua, encontrou a família com a ajuda de Marcos e voltou para a casa no em Barbosa (SP), onde viveu cinco anos e morreu. Foto: Arquivo Pessoal

“Eu já ouvi muita gente dizer: “Está com dó, leva para casa”. Esses são os primeiros a apontar, a dizer que eles estão ali [na rua] porque querem”, conta Moraes. “Não é assim. Os moradores de rua merecem no mínimo serem ouvidos, merecem atenção.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele conta que depende da ajuda de muita gente para fazer esse trabalho social, já que ninguém faz nada sozinho. “Não financeiramente. Quando há gastos, são meus.”

Antonio era morador de rua, encontrou a família com a ajuda de Marcos e voltou para a casa no em Barbosa (SP), onde viveu cinco anos e morreu. Foto: Arquivo Pessoal
Antonio era morador de rua, encontrou a família com a ajuda de Marcos e voltou para a casa no em Barbosa (SP), onde viveu cinco anos e morreu. Foto: Arquivo Pessoal

Moraes tem planos de criar uma ONG para ajudar mais moradores em situação de rua. Ele conta com o apoio do comandante da GCM, Gilson Mendes. “Se eu precisar de carro, tenho à disposição. Isso é muito importante.”

“Quando eu preciso fazer uma busca, o computador da guarda está à minha disposição também. Mas eu também faço isso em casa como uma extensão desse trabalho social. Esse é o meu dom”, finaliza.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,769,066SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Vídeo de cachorro ajudando bebê a assaltar a geladeira vai animar o seu dia

Um vídeo muito fofo está fazendo sucesso na internet. Quando pensamos em vídeos fofos, é claro que crianças e cachorros nos vem à cabeça. E  sim,...

Contrariando médicos e com dor, Fernando Leme conquista Ouro ao lado do irmão nas Paralimpíadas

Os atletas das Paralimpíadas são a prova viva de que a cada dia têm uma superação maior em suas vidas. Numa conquista inédita, o...

Moradores em situação de rua cultivam horta comunitária em abrigo de SP

Escrito por Débora Spitzcovsky Já noticiamos a incrível horta orgânica cultivada por moradores em situação de rua dos Estados Unidos. Mas não é só por...

Adolescente convida amigo autista para ser seu “Príncipe” em festa de 15 anos

Prestes a fazer 15 anos, a estudante mineira Yasmin Christine sonha com sua festa de debutante desde criança. Faz um ano que a jovem...

Como uma campanha publicitária reduziu 85% da taxa de suicídios na Coréia do Sul

A Coreia do Sul carrega um título infeliz, é o país com a maior taxa de suicídio da OCDE. O local escolhido pelos suicidas na maioria...

Instagram