Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada

2
1950

No ano passado, Rose Kemp, que vive em Nassau (Bahamas), encontrou uma bebê guaxinim abandonada. Ela decidiu adotar a pequena órfã, batizada pela família Kemp como Pumpkin (Abóbora), e a levou para conviver com os seus dois cães, Toffe e Oreo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Logo ela desenvolveu laços conosco e com os cães. Ela os segue aonde quer que eles vão. Ela agora pensa que é uma cadela”, disse a filha de Rosie, Young, ao site “Dodo”.

A guaxinim virou um fenômeno na internet e o seu Instagram já tem mais de 40 mil seguidores.

É importante lembrar que nas Bahamas não existe resgates de guaxinins. Lá, é perfeitamente normal ver os moradores cuidando desses animais em suas próprias casas, embora não sejam animais de estimação. “Eles são animais selvagens, por isso eles são muito temperamentais. Ao contrário dos cães e gatos, eles não são domesticados. Como uma criança mimada, se ela não conseguir o que quer, ela vai deixar você saber”, explicou Young ao site “My Modern Art”.

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 2

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 3

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 4

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 5

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 6

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Guaxinim adotada nas Bahamas vive como um cão após ser resgatada 7

Fotos: Reprodução/Facebook/Instagram Pumpkin The Raccoon

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

2 COMENTÁRIOS

  1. A guaxinim se considera parenta desses cães porque foi
    adotada pequena, fosse adulta e seria outro departamento, as fotos não seriam
    tão, digamos, “comportadas” e os pobres cães já teriam pirado de vez,
    quem sabe expulsos do próprio lar sem direito à passagem de volta.

  2. A guaxinim se considera parenta desses cães porque foi
    adotada pequena, fosse adulta e seria outro departamento, as fotos não seriam
    tão, digamos, “comportadas” e os pobres cães já teriam pirado de vez,
    quem sabe expulsos do próprio lar sem direito à passagem de volta.

Comments are closed.