Baterista lança canal sobre música e inclusão de pessoas com deficiência

O paulistano Gui Caiaffa lançou no último mês de julho um canal no YouTube sobre bateria. Ele, que iniciou as práticas do instrumento aos cinco anos de idade, é portador da síndrome Apert, condição que tem como uma das características a fusão dos dedos das mãos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas isso nunca o impediu ou limitou os estudos na bateria, pelo contrário: a identificação com a música se tornou uma profissão. Após algumas cirurgias corretivas, mesmo com os dedos menores, ele passou a ter total liberdade e independência para tocar.

[Julio tem autismo severo e precisa ser amarrado em momentos de crise. Por falta de tratamento, ele parou de falar há muitos anos e precisa de um acompanhamento clínico e psicoterapêutico. Queremos custear um tratamento pra ele e comprar móveis para a família viver um pouco melhor. Clique aqui e apoie.]

Aos dezoito anos, Gui ouvia muito som pesado e era fã de Sepultura. Por isso, ao descobrir que o ex-baterista da banda, Jean Dolabella, dava aulas, imediatamente o procurou para aprimorar os estudos.

Baterista Gui Caiaffa canal música inclusão pessoas com deficiência

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Confeiteira dá exemplo de inclusão com bolo ‘destruído’ em festa de criança autista

“Lembro que antes de ter a primeira aula, imaginava que ia chegar lá, tocar heavy metal e pegar algumas técnicas de pedal duplo. O que na realidade foi totalmente diferente. Eu lembro que quando ele colocou a música para eu tocar, o som era Cherish da Madonna. No começo estranhei porque estava tocando aquele som, mas vendo o que ele me passava de técnicas e outras idéias sobre a música, minha cabeça começou a se abrir para ouvir outros estilos além do metal.”

Tendo passado por uma banda de pop que atuou em bares e pubs, Gui acumulou a experiência da dinâmica de palco e acrescentou novas formas a sua maneira de tocar.

Leia também: Crianças de comunidade carente de Curitiba são surpreendidas com lanche e agasalho na volta às aulas

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A partir das aulas com Jean, a ideia do canal surgiu para que Gui pudesse mostrar um pouco sobre a sua profissão, como uma espécie de portfólio.

Paralelamente a isso, a ideia de incorporar a inclusão social foi amadurecendo. Abordando a síndrome, adaptações e a própria evolução, Gui Caiaffa é um produtor de conteúdo que influencia outras pessoas (com diferenças físicas ou não) a superarem os medos e iniciarem a prática desse instrumento que é libertador e a fazer qualquer coisa que tiverem vontade. Afinal, a bateria é para todos!

Saiba mais assistindo o vídeo abaixo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fotos: Divulgação/Estevam Romera

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,777,821SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe transporta o filho dormindo em aventuras incríveis

Queenie Liao, uma artista freelancer e mãe de três meninos, combinou arte e imaginação com a fotografia. Queenie criou fotos incríveis usando roupas, bichos...

Atleta grego carrega mulher com deficiência pelo Monte Olimpo, realizando o maior sonho dela

A estudante de biologia Eleftheria Tosiou, de 22 anos, tinha um sonho que ela achava que nunca realizaria: subir o Monte Olimpo, na Grécia. É...

Coma bem sem desperdício e ajude a combater a fome

O Movimento Satisfeito, idealizado pelo Instituto Alana, propõe que, ao pedir seu prato em restaurantes cadastrados no projeto, você opte pela versão “Satisfeito” –...

Homem comemora aniversário de esposa falecida no cemitério

Um idoso conhecido pelos moradores de União dos Palmares (AL) como "Zé Embreagem" fez um peculiar pedido a Henrique Ramalho, administrador do cemitério Campo...

Hospital Badim: Médicos criam corrente solidária para socorrer feridos no incêndio

Diversos médicos atenderam ao apelo dos colegas do Hospital Badim, na Tijuca (RJ), atingido por um incêndio no final da tarde desta quinta-feira (12).

Instagram