Pesquisadores de Harvard anunciam respostas positivas de vacina contra o câncer

Os pesquisadores da Universidade de Harvard, em Massachusetts (EUA), divulgaram, na última quinta-feira (1º), estudos que apontam respostas positivas de uma vacina contra o câncer de pele melanoma. De acordo com a pesquisa, o imunizante continuou produzindo anticorpos mesmo após anos de aplicação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A vacina, criada individualmente para os oito pacientes que tiverem o melanoma removido cirurgicamente e participaram dos testes, não tem capacidade de ser replicada em escala de mercado. De acordo com o professor de Medicina de Harvard e diretor do Melanoma Disease Center do Dana-Farber, Patrick Ott, similaridades entre as doses podem acontecer, mas são exceções.

“Na Oncologia, quando encontramos uma mutação e, em seguida, usamos uma terapia direcionada, muitas vezes dizemos que é uma abordagem personalizada. Algumas das mutações que encontramos são compartilhadas por grupos de pacientes, mas essas são, na verdade, a exceção. Neoantígenos pessoais, vistos apenas no tumor daquele paciente individual, são muito mais comuns”, contou o professor, segundo o site Canaltech.

Batizada de NeoVax, o imunizante atua junto ao corpo na criação de células T antitumorais, específicas para o tumor de cada paciente. Estas células T auxiliam o sistema imunológico a desenvolver imunidades de longo prazo contra doenças autoimunes e inflamatórias.

Médico atrás de estátua
Patrick Ott foi um dos pesquisadores chefes do estudo que envolveu grandes instituições, incluindo Harvard e MIT. Foto: reprodução/Harvard

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Resultados são acompanhamento de um estudo do passado

Há quatro anos, os pesquisadores da Universidade de Harvard e de outros institutos, como o renomado MIT, testaram as vacinas em pacientes que haviam removido o melanoma por completo. Com o alto risco de reincidência do câncer, os médicos decidiram aplicar os imunizantes personalizados para entender se era possível ter respostas positivas do corpo.

Com o resultado satisfatório na época, restou aos pesquisadores a dúvida sobre a eficácia do imunizante no longo prazo. Esta nova publicação, feita na revista The Harvard Gazette, aponta a comprovação da eficácia da NeoVax.

“Pode-se dizer que é um campo em expansão, onde já existem estudos em andamento. Será dentro de poucos anos. Certamente há desafios que precisam ser superados, principalmente o tempo e o custo de fabricação”, concluiu Ott.


Quer conhecer mais uma história inspiradora? Dá o play!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,415,745SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cão ajuda cadeirante durante inundação

O amor e o respeito que um cachorro pode trazer não é nada na frente da ajuda concreta em situações difíceis como uma inundação. Olham...

Jovem músico que fez vaquinha para estudar na Europa comemora meta alcançada

A paixão do músico Uiler Moreira, 21, pelo seu violino é uma relação harmônica e afinada que vem rendendo boas notas. Ante a admiração de...

Arquitetos constroem minicasas em apenas 6 horas para pessoas em situação de rua

A “Community First Village” fica no estado do Texas. Ela é capaz de fabricar 240 minicasas com tudo o que uma moradia comum tem.

Jovem com autismo severo tem sua vida salva através do balé

Hoje Philip é o bailarino principal em Les Ballets Trockadero de Monte Carlo, uma companhia de balé composta apenas por homens.

Enfermeiro cubano salva bebê com o método da “mãe canguru”, na Argélia

A solidariedade tomou conta de todo mundo durante essa quarentena. A gente tem amado compartilhar esse momentos de empatia e, dessa vez, o motivo...

Instagram