Herói muçulmano lutou contra atirador na Nova Zelândia e chegou a tomar sua arma

Em meio ao violento e inexplicável ato de ódio que o mundo testemunhou esta semana contra duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, que ceifou a vida de 49 pessoas que faziam suas orações, encontramos, diante de tamanha tristeza, um raio de esperança.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Artista transforma crianças da Cidade de Deus em super-heróis (que realmente são!)

Relembrar as vítimas e os sobreviventes do massacre é necessário, bem como contar suas respectivas histórias.

Abdul Aziz, um homem muçulmano que fazia suas preces no Linwood Islamic Center, seria apenas mais um alvo do atirador, mas conseguiu combatê-lo no momento do ataque.

De acordo com o relato de Syed Mazharuddin, jovem que testemunhou a ação, Abdul conseguiu tirar a arma da mão do atirador e perseguiu ele o quanto pôde para fora da mesquita.

“O homem que cuida da [estrutura da] mesquita… ele viu uma oportunidade e atacou [o atirador], pegando sua arma.” Syed acrescentou: “Esse homem, esse herói, perseguiu o atirador, que falhando em pegar a arma, correu para fora da mesquita e fugiu num carro – onde pessoas esperavam por ele.”

Leia tambémPessoas do mundo todo estão deixando flores em mesquitas após atentado

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Abdul Aziz é um imigrante do Afeganistão que possui uma loja de móveis em Christchurch. O afegão conta que jogou uma máquina de cartão de crédito na cara do atirador para transtorná-lo.

“Eu vi um homem com um uniforme do exército e disse: ‘Quem diabos é você?’ E ele começou a me xingar ”, disse Abdul à Rádio Nova Zelândia.

Abdul aproveitou um momento de distração do atirador e pegou a espingarda dele, só que ao tentar atirar, percebeu que a arma estava sem balas.

“[…] então eu joguei a arma contra ele, acertando uma janela. O vidro estourou, fazendo bastante barulho e ele ficou chocado, pensando que eu tinha atirado contra ele ou algo assim,” relatou.

Quando o comerciante afegão foi questionado sobre ter salvado vidas naquele dia, ele foi humilde.

Relacionado: Merendeiras ajudam a salvar 50 alunos de ataque em escola de Suzano

“Na verdade, eu não salvei ninguém. Deus, Deus, os salvou ”, afirmou.

Abdul Aziz, aclamado como herói, descreveu o ataque em uma entrevista recente [legendas em inglês]:

Leia tambémHomem muçulmano posta no Twitter como seu colega de trabalho judeu o trata todos os dias

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Tanks Good News

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

985,243FãsCurtir
1,733,616SeguidoresSeguir
8,551SeguidoresSeguir
11,100InscritosInscrever

+ Lidas

Bióloga que salvou Arara Azul da extinção vira personagem da Turma da Mônica

Na última terça-feira (11), foi celebrado o Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência. Para comemorar a data, a Mauricio de Sousa Produções...

Juiz vai até a casa de idosa para lhe conceder aposentadoria

Um  caso incomum aconteceu há alguns meses, onde um juiz foi até a casa de uma senhora de 100 anos para conceder aposentadoria a ela. O...

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

Cientistas adjuntos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto desenvolveram uma técnica eficaz na redução de quase a totalidade...

Neto faz “antes e depois” e homenageia avó em seu aniversário de 99 anos

A homenagem de um neto para sua avó no dia do seu aniversário de 99 anos comoveu as redes sociais nesta quinta-feira (13). Iury Neto,...

Instagram