Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC)

Quem imaginaria que num mesmo espaço encontraríamos tantas histórias incríveis e emocionantes de superação, diversidade e inclusão, não é mesmo?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E foi exatamente isso que aconteceu neste último final de semana (27 e 28 de setembro) no Festival SGB que reuniu no Sesc Cacupé, em Florianópolis (SC), milhares de pessoas dispostas a se conectarem e trocarem experiências sobre tecnologia e o seu impacto social.

O primeiro dia foi aberto pelo jornalista e autor de best selles Marcos Piangers, que emocionou o público ao dizer sobre a paternidade e a desconstrução da masculinidade tóxica.

“Seja o herói que o seu filho acredita que você é. Seja o herói que o seu filho acredita que você pode ser. Seja o herói que o seu filho acredita que você é no trabalho, com as pessoas, com as mulheres. Seja esse herói gentil, humano e justo”, disse.

Marcos Piangers e evento Festival SGB
Jornalista Marcos Piangers emocionou o público com os seus relatos. Foto: Reprodução/Youtube Festival SGB

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Conheçam o indígena de 2019”

No segundo dia, começamos o evento com a palestra “Influenciando positivamente: como o uso das redes sociais pode potencializar as vozes da multidão contribuindo com uma sociedade mais humana e protagonista?” com os influenciadores Nátaly Neri do canal Afros e Afins, Louie Ponto, Denilson Baniwa e Carla Mereles.

Nesse bate-papo, eles desabafaram sobre a toxidade das redes sociais. Denilson Baniwa foi o primeiro indígena a criar um canal, há um ano ele parou com o trabalho e hoje dedica-se a música e a rádio Yandê, primeira rádio indígena.

No canal eu falo o que é ser indígena, quem são os indígenas. O canal foi uma forma também de incentivar os jovens indígenas e de criar uma conexão entre eles. Acredito que eu cumpri o que tinha planejado, e por isso que parei de gravar.

Denilson Baniwa conversa com o Razões Para ACreditar e fala da rádio Yandê
Denilson Baniwa foi o primeiro indígena a criar um canal e uma rádio indígena, a rádio Yandê. Foto: Razões Para Acreditar

Depois tivemos a incrível palestra Women in Tech Black – A contribuição de pessoas negras na tecnologia com as incríveis Cris dos Prazeres, Vitorí, Talita Matos e Geórgia Barbosa, além de rodas de conversas com a ex-atleta  e fundadora e CEO da Somar, Carolina Aragão, com o tema marketing de causas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que eu vi lá foi uma união de pessoas querendo muito fazer o bem em todas as escalas de impacto. Do bom dia, a iniciativas tecnológicas que transformarão o mundo. O que tenho certeza que sairá de lá por todos olhos brilhando que vi, e o alto nível de conteúdo, são pelo menos 2.200 mentes que assistiram, e certamente tiveram insights que já devem estar impactando positivo por aí”, disse.

Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC) 1
Foto: Divulgação

O evento foi encerrado no sábado (28) com a palestra da primeira Cacica do Brasil, Kerexu, que falou da importância de passar os saberes indígenas e valores de respeito à natureza as crianças. “Temos sofrido e resistido! As pessoas se desconectaram com a natureza”, disse.

Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC) 2
Foto: Festival SGB

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Conhecemos o professor Thiago que tem paralisia cerebral

Entre os participantes do evento, tivemos a linda sorte de conhecer o professor de geografia Thiago Evangelhista, 33 anos, de Florianópolis. Todo ano ele vai com a família curtir o evento e ficamos sabendo do seu lindo projeto com a palestra “Olhares que falam”. Nele, ele explica o uso da comunicação alternativa por causa da paralisia cerebral e como foi importante para a realização do sonho de lecionar.

professor Thiago com paralisia cerebral com a família no Sesc Cacupé
Há 3 anos Thiago dá aula de Geografia e com muito esforço conseguiu a tecnologia que o auxilia nas aulas. Foto: Razões Para Acreditar

Desde pequeno com a família pesquisamos e desenvolvemos juntos vários recursos que permitissem e facilitassem a comunicação em todos os âmbitos da vida dele. Na escola não foi diferente, e graças a estes recursos, hoje ele é um professor de geografia!”, disse a família. 

Deficientes visuais mostram que suas limitações não os impedem de crescer!

Conhecemos também o jovem e jornalista Gustavo Amorim, que há 5 anos se mudou para Florianópolis para aprender a ser independente. Hoje, ele mora sozinho e também foi curtir o evento sozinho! Por conta de retinite pigmentosa, ele perdeu a visão aos seis anos de idade.

“Com a Acic (Associação Catarinense para Integração do Cego) aprendi a fazer tudo sozinho, eu precisa aprender, pois com os meus pais, eu não conseguia me virar. Vim de Maceió, e hoje trabalho na comunicação de uma grande empresa”, contou.

deficiente visual Gustavo Amorim no Sesc Cacupé
Há 5 anos Gustavo Amorim se mudou para Florianópolis para lidar com a deficiência visual. Foto: Razões Para Acreditar

Na manhã do segundo dia do evento, o contrabaixista Mateus Costa abriu o evento. Quando ele desceu do palco pudemos identificar que ele tinha deficiência visual! Conversando com ele, descobrimos o seu incrível projeto A Corda em Si ao lado da esposa e também deficiente visual, Fernanda.

“Apresentamos juntos há muitos anos e participar do evento foi uma honra”, contou.

Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC) 3
Foto: Reprodução/Youtube. Festival SGB

contrabaixista Mateus Costa no Festival SGB
Mateus Costa tem o projeto A Corda em Si ao lado da esposa e também deficiente visual, Fernanda. Foto: Razões Para Acreditar

E para fechar, temos o Vinícius Schmidt, manezinho da Ilha e jornalista por formação. Ele é Analista de diversidade e inclusão da RD Station.

Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC) 4
Foto: Razões Para Acreditar

“Minha vinda ao evento tem dois viés: o profissional, porque trabalho com a diversidade e tenho uma necessidade de entender como a gestão de pessoas pode melhorar a inclusão e também tem o lado pessoal porque sou militante engajado neste movimento e queria esse momento para fazer network e ouvir histórias inspiradoras”, disse.

Ufa, muita história boa, não é mesmo! O Festival SGB foi incrível! <3 Até o próximo!

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

 

 

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,839,477SeguidoresSeguir
24,786SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Catadores de recicláveis de SP ganham pegadores para facilitar coleta

Catadores e catadoras de materiais recicláveis de São Paulo receberam durante o Carnaval 340 pegadores para facilitar – e muito! – o seu trabalho...

Operário aposentado de 93 anos conclui curso de direito na Paraíba

Sua próxima meta é entrar no curso de medicina!

Famílias voluntárias substituem abrigos e acolhem crianças abandonadas temporariamente

Pioneiro no Estado do Rio, o programa Família Acolhedora, lançado em 2010, conta com 21 famílias aptas para acolher crianças de 0 a 11 anos em vulnerabilidade.

Mãe captura momentos poderosos de suas filhas destemidas para mostrar que “força é a nova beleza”

Muitos veículos tem falado sobre a "nova beleza", que seria uma mudança na valorização de outras formas de beleza, que não apenas a física. Kate...

Instagram

Histórias emocionantes marcam a 8ª edição do Festival SGB em Florianópolis (SC) 6