Homem inventa máquina que produz água potável a partir do ar

2
3925

Ultimamente temos passado por grandes problemas em relação a escassez de água. Muitas pessoas ficam sem o recurso em suas casas e uma das coisas que mais ouvimos falar é da situação da Cantareira, que atualmente trabalha com 5% de sua capacidade. É fato que esse é um grave problema e não só para o Brasil, mas vários outros países tem sofrido com este mesmo problema. Já foram pensadas em milhares de formas para resolver esse problema, mas sem sucesso essa questão tende a piorar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

agua-ar-2

“Se não ocorrer chuva, a solução que nós temos no curtíssimo prazo é voltar a fazer novena e procissão pedindo chuva porque a engenharia não dispõe mais de meios.” Diz Antônio Carlos Zuffo, especialista em recursos hídricos.

Mas tudo indica que um engenheiro de Valinhos chamado Pedro Ricardo Paulino, encontrou uma solução para este problema já em 2010, com uma ideia sua que já está inclusive patenteada e sendo comercializada.

Sua invenção batizada de Wateair possui um sistema que puxa ar para dentro da máquina, condensa as moléculas de água transformando-as em líquido, purifica a água e adiciona sais minerais. Tudo o que precisamos para ter uma água perfeita para o consumo. A máquina faz água “do nada”, bom não do nada, mas tira a água do ar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

agua-ar-3 agua-ar-5 agua-ar-6

Mas como tudo isso começou? Ele trabalhava em uma multinacional, em 1990, num projeto semelhante que pesquisava a viabilidade de retirar água de outras fontes fora as habituais. O projeto acabou sendo abandonado, mas Pedro nunca parou de pensar nele, até que em 2006 começou a trabalhar em suas idéias com seus próprios recursos até que com sucesso, em 2010, conseguiu atestar a qualidade da água e patentear sua invenção.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=sXk8LIrUFUk”]

“Máquinas como essa em escala gigante e a dessalinização da água do mar são opções para o futuro de São Paulo.”

Via Folha

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

2 COMENTÁRIOS

  1. Águas das enchentes frequentes em São Paulo parecem ter o efeito contrário ao desta invenção pois “desaparecem” no ar sem abastecer os reservatórios que continuam baixos. Sobrenatural, isso.

  2. Tratando-se da utilização desse mecanismo no uso doméstico a ideia é realmente genial, porém se fosse criado um mecanismo desse em uma escala muito maior, no abastecimento de água de uma pequena cidade por exemplo, quais seriam as consequenciais ambientais, em médio/longo prazo, já que ele tira a umidade do ar, não agravaria mais ainda o problema da falta de chuva? Adoraria ler e conhecer mais sobre esse projeto.

Comments are closed.