Homofobia e transfobia agora são passíveis de prisão na Suíça

A Assembleia Federal da Suíça, parlamento bicameral constituído pelo Conselho Nacional, com 200 membros, e o Conselho dos Estados, com 46 membros, deu um passo adiante na demanda por direitos e proteções de pessoas da comunidade LGBTQ.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Um projeto de lei foi aprovado no Conselho Nacional, a câmara baixa do parlamento, e impõe pena de prisão a indivíduos homofóbicos ou transfóbicos. Na prática, a lei equipara a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero ao crime de racismo na nação europeia.

Aqueles que forem considerados culpados por discriminar ou agredir qualquer cidadão por conta de sua orientação sexual ou identidade de gênero poderão ser condenados a até três anos de prisão em regime fechado.

Leia tambémSenado Federal abre consulta pública sobre a criminalização da homofobia no Brasil

O Conselho aprovou a mudança do Código Penal Suíço por 118 votos a favor a 68 votos contra. Um amplo arco de apoios foi construído entre progressistas, social-democratas e centristas contra a direita conservadora, garantindo a vitória.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A lei segue agora para o Conselho dos Estados, onde será ratificada. Especialistas afirmam que não deve haver oposição considerável contra a medida, facilitando sua confirmação.

“Vitória!”, disse Mathias Reynard, ativista e deputado suíço que lutou por uma década pela aprovação do projeto. “Um grande sucesso pelos Direitos Humanos!”, escreveu em seu perfil no Twitter.

“A homofobia não é uma opinião, é um crime. A vitória manda uma mensagem forte”, disse Mathias, que é membro do Partido Social Democrata.

O objetivo final dos social-democratas em prol da comunidade LGBTQ é aprovar em lei o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo na Suíça.

Leia tambémBrasileiros estão se oferecendo para trabalhar de graça em casamentos LGBTs

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Até o momento, a única jurisprudência aprovada foi a união civil entre pessoas do mesmo sexo, sem o entendimento de equiparamento de direitos do casamento heterossexual.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Revista Lado A

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,636,434SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto reúne palestrantes de todo o mundo e foca em como o design pode criar soluções para um futuro sustentável

Ano passado, mostramos aqui o projeto What Design Can, que reuniu projetos inovadores, práticos, acessíveis e facilmente compreendidos para serem executados em menos de 10...

Brasileira ajuda engraxate de 8 anos e família que passam fome na Angola

A brasileira Fabiana Vieira, integrante da ONG Atos Angola, encontrou nas ruas de Luanda, capital da Angola, o pequeno Fred. Com apenas 8 anos...

Experimento mostra aos pais atos de bondade espontâneos dos filhos

Muitos fatos que aparecem na grande mídia acabam nos deixando pessimistas em relação ao mundo, mas lembrem-se: isso é apenas um lado da moeda,...

Eletricista gaúcho constrói 300 casinhas para cachorros abandonados

Desde setembro do ano passado, o eletricista gaúcho Felipe Hilário construiu mais de 300 casinhas para cachorros que vivem em situação de rua em Cachoeirinha, região...

Instagram