IBM oferece a funcionários transgêneos subsídio para a terapia hormonal

A comunidade trans enfrenta diversos obstáculos para ingressar no mercado de trabalho por conta do preconceito. Competência e talento não bastam para conseguir uma vaga de emprego em grande parte das empresas, das pequenas às multinacionais. Felizmente, esse não é o caso da IBM, que vai além da inclusão de pessoas trans nos seus postos de trabalho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A gigante da tecnologia lançou no mês passado um programa interno de assistência para funcionários transgêneros. O PAT (Programa de Assistência às pessoas Trans), além de oferecer apoio médico, psicoterápico e psicoterapêutico, oferecem aos funcionários trans da empresa um subsídio de 75% na compra de terapia hormonal,  com extensão também aos filhos ou dependentes legais de seus funcionários que sejam transgêneros.

Há dez anos, a empresa recebe nota máxima do Human Rights Campaign por iniciativas como a extensão da assistência médica para parceiros de funcionários do mesmo sexo, antes mesmo da legislação no Brasil permitir o benefício. A cobertura médica para funcionários transgêneros é inédita no plano de medicamentos da IBM Brasil.

Leia também: Paola Carosella comemora o sucesso do curso para travestis e transexuais

Com informações do Fórum de Empregos e Direitos LGBT

foto: divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,714FãsCurtir
1,763,678SeguidoresSeguir
8,639SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram