Idosa de 80 anos realiza o sonho de ler e escrever em Goiás

É clichê dizer que nunca é tarde para aprender, mas não custa nada reforçar. E ninguém melhor do que a dona Ephigênia Soares de Jesus para provar. Ela aprendeu a ler e escrever aos 80 anos de idade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Moradora de Goiás, ela é aluna de um programa de alfabetização para adolescentes, adultos e idosos. O curso é oferecido a pessoas que não concluíram o ensino fundamental e que não desistiram de aprender a ler e escrever.

idosa-80-anos-aprende ler e escrever

“Ter um aluno com 80 anos pela primeira vez na escola é um desafio. Mas, isso é muito bom! Ela está com o desejo de aprender a ler e escrever. Então, isso vai facilitar muito o nosso trabalho”, explica a professora Regina Célia Prado, em entrevista para um jornal local.

idosa-80-anos-aprende ler e escrever

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu morava na roça. Meu pai falava que filha mulher não precisava estudar. Aqui, eu vou aprender muita coisa boa. Eu vou longe, com certeza”, bradou a dona Ephigênia, mãe de 4 filhos e avó de 12 netos, demonstrando que os sonhos nunca envelhecem e que tudo é uma questão de tempo: basta acreditar e ir atrás deles.

idosa-80-anos-aprende ler e escrever

Fotos © Bom Dia Goiás/Reprodução

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,502,658SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Bilhete de criança de 7 anos que caiu de bicicleta e riscou veículo viraliza: “Como ficar bravo?” (SC)

Da forma como sabia, o pequeno Benício, de 7 anos, deixou um bilhetinho depois que esbarrou no carro de um desconhecido, em Curitiba (PR)....

Café londrino servirá almoço de natal gratuito para idosos que vivem sozinhos

Um Café de Londres vai fazer um almoço de natal gratuito para 30 idosos da vizinhança que não vivem mais com a família. O Haberdashery...

Estudo sugere que lembranças boas ajudam a combater doenças como depressão e ansiedade

Pensar nas lembranças boas da vida é um poderoso antídoto para doenças como a depressão e ansiedade, sugere um estudo de pesquisadores da Universidade de Liverpool.

Em vez de árvores, pesquisadores estão produzindo papel feito de estrume

Mais de 40% de toda madeira cortada no mundo é usada para a produção de papel, mas graças à tecnologia essa realidade pode estar...

Professora adapta aulas para aluno especial: inclusão!

A professora Joana D’Arc Manente faz o que está ao seu alcance para promover a inclusão do garoto Stevão.

Instagram