Idosa de 62 anos lê pela primeira vez e se emociona; veja vídeo

Uma idosa de 62 anos teve uma reação emocionante ao conseguir soletrar, juntar as sílabas e ler a primeira palavra de sua vida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dona Maria Nazaré da Conceição vive em Parnamirim (RN). Ela tenta aprender a ler e escrever há vários anos, mas sem ajuda de ninguém, não conseguia. Tudo isso mudou ao conhecer a psicopedagoga Izabel Silva, que trabalha na Escola Municipal Maria Cristina.

A psicopedagoga gravou um vídeo mostrando a Dona Maria lendo as letras ‘m’ e ‘o’, para em seguida formar o fonema ‘mo’. Depois, Dona Maria une as letras ‘l’ e ‘a’, emocionando-se ao descobrir que havia montado a palavra ‘mola’.

As duas ficam tão contentes naquele momento que caem na gargalhada!

Idosa lê pela primeira vez vídeo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Rejane Barbosa dos Anjos, filha de Dona Maria, conta que a mãe não teve a oportunidade de estudar quando era mais nova. “Teve muitas dificuldades na infância, teve que trabalhar muito cedo, como acontece com boa parte da população. Ela está tentando aprender a ler há muitos anos”, contou.

“Ela já passou por muitas escolas, mas nunca conseguiu aprender. E esse ano a escola conseguiu uma psicopedagoga que está ajudando. E depois de mais de vinte anos ela está conseguindo aprender as primeiras palavras”, comemorou.

Leia também: Idosa de 80 anos realiza o sonho de ler e escrever em Goiás

Maria Nazaré é viúva e trabalhou por muitos anos como empregada doméstica e faxineira. Ao longo da vida, incentivou os filhos a estudar. Rejane levou a sério os conselhos da mãe: atualmente é formada em Relações Internacionais e oferece aulas de reforço escolar em Parnamirim.

Dona Maria quer ‘voar mais alto’, agora que está se acostumando com as palavras da língua portuguesa. “O sonho dela é escrever uma carta para cada um dos filhos e quando terminar os estudos quer fazer faculdade”, concluiu a filha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assista ao vídeo da 1ª palavra lida pela idosa:

Educação, esporte e arte são fundamentais para a inclusão social de grupos vulneráveis, concorda? Conheça então três projetos que defendem essas causas, escolha a sua favorita, apoie e concorra a um super prêmio de R$ 1 milhão da promoção “Ganhou, Causou”, da Nestlé. Clique aqui e saiba como participar!

Fonte: SNB/Fotos: Reprodução/YouTube

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM






Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,972,916SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mulher reforma bonecas do lixo e doa para crianças carentes

Para as crianças, o dia em que Antônia entrega as bonecas é como um “Dia das Crianças” ou “Natal” fora de época.

Cápsulas impressas em 3D poderão abrigar pessoas em situação de rua

Faltam abrigos e sobram pessoas em situação de rua em Nova Iorque. As vagas dos abrigos municipais, mais de 60 mil, são ocupadas todas...

São Paulo terá Centro de Tratamento para Covid-19 em 40 dias com 100 leitos

A Prefeitura de São Paulo, o Hospital Israelita Albert Einstein, a Ambev e a Gerdau anunciaram que vão construir um centro de tratamento para...

Conheça a história de Sílvia e Nickollas Grecco, ganhadores do prêmio “Torcedor do Ano” da FIFA

A presença dos dois em estádios para jogos do Palmeiras foi frequente nos últimos anos, até que em setembro de 2018 a dupla foi descoberta por uma equipe de reportagem da TV Globo.

Fisioterapeuta atende gratuitamente vítimas de violência no Complexo do Alemão

Mais de 100 pessoas com sequelas diretas e indiretas da violência são assistidas pelo projeto da fisioterapeuta.

Instagram