Idosa vence a depressão abrindo restaurante no próprio quintal e ganha vaquinha para reformar o espaço

Depois de perder os pais e entrar numa depressão profunda, a Dona Lia, 65, decidiu tomar um novo rumo na vida. Da cidade de Ingá, na Paraíba, ela abriu seu próprio restaurante no quintal de sua casa, o Memorial do Cuscuz e da Tapioca, 6 anos atrás.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além disso, quando era casada, 2 de seus 6 filhos faleceram, enquanto os outros passavam fome, pois o pai gastava tudo com bebidas. Dona Lia ganhou uma vaquinha da VOAA para terminar a reforma do restaurante que foi feito com tanto carinho. Clique para ajudar!

Desde muito cedo, Dona Lia sempre trabalhou na roça com seus pais. O cuscuz, receita feita por sua avó e sua mãe, fazia parte da maioria das suas refeições. Aos 19 anos, Lia se casou e foi morar em Recife.

Ela achou que seria uma mudança de vida, mas, seu ex-marido, hoje já falecido, bebia muito e gastava todo o dinheiro com bebidas. O casal teve 6 filhos, mas 2, um de 8 meses de gestação e outro de 12 anos, acabaram falecendo.

vaquinha para a dona lia do cuscuz reformar restaurante
Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela descobriu no cuscuz um caminho para recomeçar

Durante o casamento, ela viu seus filhos passarem fome, pois não sobrava dinheiro no final do mês, já que o marido gastava com bebidas. Então, aos 25 anos, ela começou a fazer cuscuz com a receita da avó e da mãe para vender. Transforme a vida de dona Lia!

Junto com filhos, ela vendia a receita nas ruas, além de prestar serviços de faxina e lavagem de roupas para tentar alimentar seus filhos. Com 33 anos, ela se separou e aos 40 voltou à Paraíba para cuidar dos pais que estavam doentes.

Em 2011, sua mãe faleceu e, três anos depois, em 2014, seu pai também faleceu. Com isso, ela entrou em depressão profunda. Para ajudá-la, uma amiga a incentivou a participar de grupos da terceira idade.

Memorial do Cuscuz e da Tapioca
Foto: arquivo pessoal


E foi em um desses grupo que ela conheceu o curso “Café na Varanda”, do Sebrae. Ela se encantou em cada apresentação e aprendeu maneiras de vender suas receitas, que remetiam sua infância e carregavam uma memória afetiva.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assim ela criou o restaurante Memorial do Cuscuz e da Tapioca, que também vende franguinho, angu e outras delicias. Na casa simples onde mora com uma filha de 36 anos, Dona Lia tem o sonho de ampliar seu próprio negócio e melhorar seu atendimento.

Dona Maria Auxiliadora virou Dona Lia do Cuscuz 💜

Memorial do Cuscuz e da Tapioca
Foto: arquivo pessoal


“Eu faço por amor, me trouxe a vida de volta, é um prazer poder atender as pessoas que acabam se tornando amigos”

Para conseguir ampliar o negócio, essa senhora simpática precisa finalizar a reforma que já começou através de doações. Ainda falta terminar de cobrir o espaço, fazer um banheiro para os clientes, que antes usavam o da casa, colocar prateleiras, pia, piso e fazer pintura.

Quem quer ajudar a dona Lia a realizar esse sonho? Clique aqui para contribuir. Vamos transformar a vida dessa senhora maravilhosa e batalhadora. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Idosa vence a depressão abrindo restaurante no próprio quintal e ganha vaquinha para reformar o espaço 2

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,967,657SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Vaquinha para salvar índios Yanomami arrecada R$ 200 mil: continue colaborando!

Em poucos dias e com a ajuda de muitas pessoas, a 1ª meta da vaquinha para os índios Yanomami foi batida. Foram mais de...

Após perder mãe no nascimento dos irmãos gêmeos, jovem pede ajuda para reformar casa

Miriã tem apenas 15 anos e já passou por muito sofrimento nesta vida. A mãe dela faleceu no nascimento dos irmãos gêmeos e eles...

Luminárias de flores gigantes se abrem quando passam os pedestres

Em formato de flores gigantes que se abrem em uma linda dança quando pedestres passam por elas, as luminárias desenhadas por Vallero Square ganharam o nome de “Warde“.

Da periferia de SP para os EUA: A trajetória do estudante de medicina que virou pesquisador em Harvard

"Como médico quero defender a saúde como direito de todos e agir em sua expansão nas áreas mais periféricas. Como pesquisador, quero produzir conhecimentos que melhorem a vida diária das pessoas”.

[VIDEO] Motorista fecha avenida para menina atravessar via com segurança em Curitiba (PR)

Da série "Profissionais que enchem a gente de esperança"! 😍 Neste fim de semana, viralizou nas redes sociais o vídeo de um motorista fechando uma...

Instagram

Idosa vence a depressão abrindo restaurante no próprio quintal e ganha vaquinha para reformar o espaço 3