Fofas! Idosas se conhecem em projeto de inclusão social e tornam-se melhores amigas [VÍDEO]

Dizem que depois de uma certa idade, fazer novas amizades é cada vez mais difícil…
Será mesmo, ou a velhice pode nos surpreender?

A dona Tereza Antônia, 75 anos, entrou na vida da dona Elza Galvez Barazini, 82 anos, para ficar.

Elas se conheceram no Instituto Velho Amigo, que promove a inclusão social de idosos em situação de vulnerabilidade, em São Paulo. Viraram melhores amigas e estão sempre juntas desde então.

“A Tereza me acolheu porque eu tinha chegado acanhada. Ela veio, me abraçou, e disse ‘seja bem-vinda’. A amizade começou aí. Amor à primeira vista”, conta dona Elza. “Essa daí é amiga, professora, ela é tudo pra mim, eu amo essa mulher”, completou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já dona Tereza resume a amiga com uma única palavra: amor.

“Porque o amor é tudo. A Elza é a minha amiga e irmã. Eu agradeço a Deus por ter posto ela na minha vida”, diz dona Tereza.

O almoço que o Instituto Velho Amigo realiza todo fim de ano é um dos momentos que elas mais amam estar juntas. Cada um leva um prato e, no final, todos se abraçam e celebram a vida juntos. “Era onde a gente ficava mais reunida”, conta Tereza. “A gente se abraça e é aquela alegria”, assina embaixo Elza.

Este ano o Instituto Velho Amigo foi contemplado pelo projeto A Essência do Cuidar, da NIVEA, para fortalecer ainda mais a sua rede de acolhimento e proporcionar mais encontros como o da dona Tereza e da dona Elza.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sério, vontade de colocar as duas num potinho. Olha só:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Saiba mais sobre o Instituto Velho Amigo e apoie também clicando aqui.

Relacionados

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

Com o poder do toque, NIVEA apoia ONGS que transformam vidas de pessoas esquecidas ou pouco lembradas

Você já parou para pensar no poder do toque? Bem mais do que um simples contato físico, a própria Ciência prova que o toque,...

+ DO CANAL

Com foco no acolhimento, ONG orienta pessoas trans que desejam fazer retificação de nome e gênero nos documentos (SP)

A falta de informação acessível e o medo do julgamento durante o processo são algumas das barreiras que dificultam ou impedem o acesso de...

“É um afeto que eu não tive em casa”, diz mulher trans sobre apoio para retificação de nome e gênero em documentos

“Sempre que conheço alguém, eu mostro meu RG novo”, diz Christine Vaz, que foi designada do gênero masculino no nascimento, mas se identifica com...

Lar de idosos promove roda de conversa e desmistifica preconceitos

Embora a sexualidade seja um tema cercado por mitos e tabus, é necessário abrir a conversa e com pessoas de todas as idades, incluindo...

Na AACD, Helena, que tem poliomielite, foi acolhida e superou traumas causados pelo preconceito (SP)

A dona Helena Teodoro Michelon foi diagnosticada com poliomielite quando tinha um ano e dois meses. Da infância, passando pela adolescência, até a vida...

Consultora de Imagem oferece ajuda para empreendedores negros serem mais autoconfiantes

“Recebo muitas mensagens de mulheres que empreendem, mas que têm vergonha de aparecer”, revela a Consultora de Imagem, Carla Domiciano. Carla atuou como facilitadora...

Instagram