No Espírito Santo, idoso de 89 anos cata latinhas para ajudar famílias carentes

Quando foi ao médico há cinco anos para questionar a falta de força em suas pernas e em sua mobilidade, José Calixto, de 89 anos, recebeu a recomendação médica de que precisava fazer exercícios para fortalecer os músculos das pernas, ou teria que se entregar à cadeira de rodas. Nos primeiros dias de caminhada, ele se deparou com latinhas na rua e começou a guardá-las. A partir daí, passou a sair de casa todas as noites para recolhê-las, e vender as latinhas para reverter o dinheiro em cestas básicas, para doar as famílias carentes de Vila Velha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“É muito triste saber que tem gente passando fome. Poder mudar um pouco essa realidade é transformador para mim”, conta.

Mesmo com dificuldades, seu Calixto já conseguiu juntar 500 quilos em latinhas. Ele atribui todo o seu esforço a Deus.

“Muita gente não acredita (em Deus). Eu acredito. E é por isso que nada aconteceu comigo. Eu não saio de casa sem fazer minhas orações”, disse.

Ele conta que hoje vende o montante de dois em dois meses. Com o dinheiro arrecadado, ele compra cestas básicas que dá à igreja e as famílias que precisam de comida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“E olha, não é só família miserável e maltrapilha que eu ajudo. Já ajudei gente que já teve carro, que tem profissão. Mas você sabe, né? Todo mundo passa por situações complicadas de vez em quando, e todo mundo merece uma ajuda para se reerguer”, destaca.

Ajuda

Seu Calixto recolhe as latinhas com um um carrinho parecido com aqueles de supermercado, que segundo ele, também é usado para que ele possa se apoiar. Ele percorre mais de 40 lugares diferentes na cidade.

Porém, o idoso lamenta ter medo de não poder continuar com o trabalho das latinhas. Ele possui muita dificuldade para andar, e já tentou usar um triciclo para somente ter que pedalar, mas também não conseguiu.

“Eu não sei quanto mais vou aguentar, e já tentei usar um triciclo de pedalar, mas não adiantou. Precisaria ser motorizado”, afirma.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mesmo com suas limitações, Seu Calixto segue na luta, e às vezes, recebe ajuda das próprias pessoas que recebem as latinhas.

“Já aconteceu de eu dar a primeira cesta, e no mês seguinte a família vir me trazer latinhas para me ajudar na hora que eu as vendesse”, comemora.

Via

Foto: Marcelo Prest

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,640,029SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Hacker derruba 20% da Deep Web e consegue barrar sites de pornografia infantil

Deep Web é o nome dado para uma zona da internet que não pode ser detectada facilmente pelos tradicionais motores de busca, garantindo privacidade...

“Hear Me Now”: Música de Alok ajuda jovem a sair do coma em Joinville (SC)

A música de Alok fez os batimentos cardíacos de Lucas dispararem e ele, pela primeira vez desde o acidente, mexesse a mão para se comunicar com o pai.

Idoso chora ao ser acusado de roubar muda de canteiro, história viraliza e ele ganha dezenas de flores

Seu Gabriel Vieira, conhecido como Bié, mora em Alumínio (SP) e viralizou nessa semana, após a neta publicar sobre uma acusação falsa, que o...

Para alegrar colega que perdeu concurso, menina cede medalha para ele

Após conquistar a medalha de prata em um concurso de oratória da escola, a estudante do 6º ano Laura Binder, 10 anos, percebeu que...

Menino que vende quadros para pagar hemodiálise sonha tomar banho de mar assim que conseguir seu transplante de rim [VÍDEO]

O Daniel Neves só tem 13 anos, mas a garra dele é imensa e inspiradora! Esse garoto luta desde os 8 meses de idade...

Instagram