Idoso conserta brinquedos para doar às crianças carentes de Americana (SP)

0
2134

O Fundo Social de Solidariedade de Americana (SP) vem fazendo um trabalho incrível nesta pandemia. Mas para que as doações aconteçam, a associação tem contado com a ajuda de diversos voluntários, realizando muitas ações beneficentes. E Cidinho é um desses voluntários.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele analisa todos os brinquedos que chegam no Fundo Social e aqueles que precisam de reparo são consertados antes de serem doados às crianças carentes.

grupo de voluntários do Fundo Social de Americana
O Fundo Social de Americana conta com vários voluntários | Reprodução: Correio Nogueirense

Telma Kiel, 72 anos, é esposa de Cidinho e já trabalhava na separação de roupas e brinquedos doados ao Fundo. Ela conta que Cidinho passou a cuidar de todos os brinquedos com muito carinho.

Desempregada, Paula improvisou uma lojinha de doces em casa e aprendeu a fazer bolos sozinha. Seu sonho é ter a sua doceria. Vamos realizá-lo? Clique aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Cidinho, como é conhecido, começou a consertar vários brinquedos, montar os quebra-cabeças e a testar os brinquedos, antes de devolver ao Fundo Social para doação. Acabou se tornando um passatempo para ele e é uma maneira de auxiliar o próximo e ocupar o tempo neste momento de pandemia que não podemos sair de casa”, disse Telma.

Leia também: Netflix cria fundo de R$ 5 milhões para 5 mil trabalhadores do audiovisual no Brasil

Maine Najar, presidente do Fundo Social disse que se emociona sempre com a dedicação de Cidinho e de todos os voluntários.

É uma alegria poder contar com essas voluntárias, como é o caso das irmãs Telma,Tânia e Tâmara que colaboram desde o início de minha gestão à frente do Fundo Social, e também de todos que se tornaram grandes parceiros, acreditando na gente e doando um pouco do seu trabalho em prol dos mais necessitados. Em tempos de “ficaemcasa” o serviço voluntário se tornou um grande passatempo para muitos”, disse Maine.

O Fundo Social conta com mais apoio

Maine também conta que há mais pessoas no grupo. Ela reforça o fato de a maioria estar acima dos 60 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Janete Batista e Nilva Prado, são dois exemplos dessa turma. Elas confeccionam máscaras de proteção para o Fundo Social. Olveti Zanotti, de 71 anos, que também fez uma boa ação parecida, doando  semanalmente entre 10 e 12 máscaras ao Fundo Social.

Também temos a Tâmara Rillo Andrade, de 63 anos que com Ivone Gomieri Vieira, 68 anos, e  Sandra Regina Benatti Camargo, 57 anos, já confeccionaram mais de 100 sacolinhas de tecidos para montar os kits que foram doados aos moradores de rua da cidade.

Leia também: Para espantar tédio da quarentena, idosos de casa de repouso recriam capas de álbuns clássicos

Tânia Rillo Andrade, 69 anos, que é irmã de Tâmara, fica responsável pela higienização de roupas doadas para bebês. Ela lava e passa cada uma das peças.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já a farmácia do Fundo fica sob a responsabilidade de Herica Giacomini, que auxília na triagem dos medicamentos recebidos.

[ASSISTA: Segundo episódio do programa do Razões para Acreditar: Era Só  O que Faltava!] 

FONTE: Jornal Americanense

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.