Idoso de 70 anos atravessa o Atlântico a remo a fim de arrecadar US$ 1 milhão para pesquisas sobre o Alzheimer

O exemplo deste jovem senhor vem da cidade de Oldham, na Inglaterra. Frank Rothwell, que tem 70 anos de idade, cruzou o Atlântico remando, tornou-se o mais velho a completar o desafio sem ajuda e conseguiu, com sua atitude, angariar doações que alcançaram cerca de US$ 1 milhão para pesquisas sobre o Alzheimer. Demais, hein!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Rothwell partiu das Ilhas Canárias em 12 de dezembro e chegou à ilha de Antigua 56 dias depois, uma semana antes do previsto inicialmente para percorrer os quase 5 mil quilômetros.

“Fiquei muito emocionado com a chegada do fim. Demorou seis longas semanas para remar o Atlântico, mas o desafio em si levou mais de 18 meses de treinamento e preparação, por isso estou muito orgulhoso do que alcancei e da jornada inacreditável que fiz“, disse Frank.

Idoso segurando faixa
Frank é o mais velho a completar desafio. Foto: reprodução/Instagram: @frank_rothwell

E deve estar muito orgulhoso mesmo, principalmente porque, além de superar seus próprios limites, ele utilizou a visibilidade em torno de sua façanha para arrecadar doações voltadas a pesquisas sobre o Alzheimer. Ele conseguiu fazer com que 9.400 doadores dessem mais de US$ 1 milhão.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O motivo para essa escolha é muito nobre. Ele perdeu seu cunhado com 62 anos de idade vítima da doença. “Enquanto eu remava, recebi mensagens comoventes de pessoas que tiveram experiências semelhantes às minhas, então espero ter ajudado outras famílias de alguma forma também“, disse ele.

Idoso remando no Oceano Atlântico para arrecadar recursos para pesquisas sobre o Alzheimer
Foto: reprodução/Instagram: @frank_rothwell

Hilary Evans, presidente-executiva da Alzheimer’s Research UK, instituição que deve receber o recurso, disse que a tentativa de Rothwell de ajudar a instituição deve salvar os esforços da pesquisa.

“Suas doações nos ajudarão a chegar mais perto de avanços revolucionários na pesquisa da demência. Após um ano desafiador, estamos repletos de agradecimentos a Frank e a todos que apoiaram seu incrível desafio!”, disse.

Idoso remando no Oceano Atlântico e sorrindo
Foto: reprodução/Instagram: @frank_rothwell

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma empresa sozinha doou meio milhão de dólares. Foi a Iceland Foods, do empresário Malcolm Walker. Ele disse que conhece Rothwell há muitos anos e “conhecia sua determinação”.

“Ao enfrentar um desafio tão monumental aos 70 anos, ele ajudou a espalhar a consciência e inspirou pessoas de todas as idades a enfrentar seus próprios desafios”, finalizou Hilary.

Valeu, Frank! Que exemplo 👏

Ajude o pequeno Davi a fazer seu tratamento na Tailândia para voltar a enxergar. Criamos uma vaquinha para ele na VOAA. Clique e contribua!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Sunny Skyz

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,857,801SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Fotógrafa doa dinheiro de ensaios para ONGs protetoras de animais

Cada vez mais as pessoas querem fazer ensaios fotográficos com seus animais de estimação. A fotógrafa Mykaella Carbonera é especialista nesse tipo de fotografia. E,...

Escravo que restaurou igrejas de SP é reconhecido arquiteto após 200 anos 

Há cerca de 200 anos, um escravo conquistou grande relevância em São Paulo por dominar a arte da cantaria, a técnica de talhar pedras...

Proibido de subir na cama, cachorro faz a festa quando é deixado sozinho

Proibido de subir na cama enquanto sua dona está em casa, um cachorro faz a festa quando é deixado sozinho. Uma câmera instalada pela...

Filho faz viagem com mãe a 20 países da Europa para agradecer os 20 anos que ela dedicou ao pai doente

Barton conta que a viagem não se resume a ajudar a mãe superar a perda de seu pai, mas também é uma maneira de demonstrar gratidão à ela por todos os anos de dedicação a ele.

O que podemos aprender com o homem que perdoou o assassino do próprio pai

Steve Saint tinha apenas 5 quando seu pai, Nate, um missionário cristão que trabalha no Equador, foi morto por um grupo da tribo Waodani, que esperou...

Instagram