Cientistas imprimem coração 3D utilizando células do próprio paciente

Há dois anos, cientistas começaram a discutir a possibilidade de utilizarem a tecnologia das impressoras 3D para revolucionar a medicina moderna, atacando um de seus maiores problemas: o transplante de órgãos. Tal tecnologia poderia ser eficaz na resolução de problemas de incompatibilidade entre doadores, além de acabar com as longas filas de espera nos hospitais públicos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pouco tempo depois, pesquisadores espanhóis demonstraram o funcionamento da primeira impressora 3D do mundo capaz de produzir pele humana.

Graças à descoberta de um tecido que replica com perfeição a epiderme, os cientistas subiram um degrau no estudo biológico de impressão tridimensional.

Leia tambémNoiva convida idoso que recebeu o coração do pai em transplante para levá-la até o altar

Agora, em 2019, cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Israel, atingiram um novo e ainda mais surpreendente patamar: imprimiram o primeiro coração totalmente 3D do mundo, utilizando as células e material biológico do próprio paciente que ganhará o transplante.

O estudo, publicado no periódico Advanced Science, é com todos os méritos uma grande revolução médica, e um dos mais importantes feitos da medicina nos últimos 50 anos.

Imagine só: conseguir produzir um órgão à perfeição, incluindo células, vasos, ventrículos e câmaras utilizando uma impressora 3D!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cientistas imprimem coração 3D utilizando células do próprio paciente

A partir de uma biópsia do tecido adiposo do paciente foi possível iniciar o processo de impressão, realizado no hospital da Universidade de Tel Aviv.

O material celular foi usado para a impressão. Os cientistas conseguiram, então, imprimir o órgão com todas as suas complexidades.

No entanto, trata-se de um protótipo: o órgão impresso ainda não está no formato ideal para o uso em um corpo humano pois é muito pequeno, possuindo o tamanho de um coração de coelho.

Espera-se conseguir criar um coração do tamanho do órgão humano em alguns meses. O modelo menor foi criado para testar a efetividade da máquina e do projeto que utiliza tecidos.

É provável que até 2021, transplantes do tipo possam ser feitos em animais e, quem sabe, em humanos.

Leia tambémMédico sul-africano cura surdez de paciente com primeiro transplante de ouvido do mundo

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: B9
Fotos: Reprodução / Universidade de Tel Aviv

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,714FãsCurtir
1,763,678SeguidoresSeguir
8,639SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram