UEPB produz mais de 40 mil EPIs em impressoras 3D para profissionais de saúde

0
3000
Protetores faciais impressos em impressoras 3D de universidades

Toda e qualquer iniciativa é essencial neste momento para ajudar no enfrentamento ao coronavírus. E que tal usar a tecnologia para isso?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É exatamente o que estão fazendo algumas universidades e empresas em todo o país. As impressoras 3D estão dando vida de forma simples a equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde.

Na Paraíba, a UEPB criou um protetor facial no Laboratório do Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes). O objetivo é proteger os trabalhadores e aumentar a eficiência das máscaras.

Pesquisadora usando máscara feita em impressora 3D para servir como EPI no enfrentamento ao coronavírus
Protetor vai isolar a máscara para aumentar eficiência do equipamento. Foto: Divulgação/Nutes UEPB

“Com esse protetor, os profissionais de saúde poderão usar as máscaras N95 por mais tempo na luta contra a Covid-19, pois vai funcionar como um protetor destas máscaras, que já começam a faltar no mercado”, destacou Yasmyne Martins.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você pode ajudar um empresário que está com a fábrica fechada a reativá-la para produzir máscaras para os profissionais de saúde. Criamos uma vaquinha no VOAA. Clique aqui e contribua!

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por NUTES UEPB (@nutesuepb) em 24 de Mar, 2020 às 2:41 PDT

O Razões tem seu próprio podcast para espalhar boas notícias, ouça os episódios na sua plataforma favorita clicando aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O laboratório firmou parcerias com outras universidades, instituições empresas e uma grande indústria de plásticos do estado e está utilizando as impressoras 3D e recursos deles para produzir mais protetores.

Pesquisadora usando máscara feita em impressora 3D para servir como EPI no enfrentamento ao coronavírus
Protetores já estão sendo distribuídos e utilizados por profissionais de saúde. Foto: Divulgação/Nutes UEPB

Já foram produzidos mais de 40 mil protetores desse modelo e a maioria já foi entregue a hospitais da Paraíba. Agora eles estão produzindo os protetores até para bebês recém-nascidos da maternidade da cidade.

Protetores faciais para bebês sendo usados como modelo em bonecos
Protetores para bebês são feitos especialmente para recém-nascidos. Foto: Nutes/UEPB

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No Rio de Janeiro, as impressoras da PUC e da UFRJ também estão fabricando máscaras com viseiras que protegem os profissionais do contato com o vírus dos pacientes. Dá só uma olhada:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) em 25 de Mar, 2020 às 3:00 PDT

E não é só no Brasil que a tecnologia de impressão 3D está sendo usada para o enfrentamento ao corona. Na Itália, engenheiros desenvolveram um respirador usando máscaras de mergulho. O principal componente dessa invenção é uma válvula que conecta a máscara a um tubo de oxigênio. E ela está sendo impressa em 3D.

Válvulas produzidas em impressoras 3D para servirem como respiradores
Válvulas ligam máscaras de mergulho a tubos de oxigênio. Foto: Michele Faini

Canal Coronavírus: veja boas notícias, vagas home-office e como ajudar pequenos negócios clicando aqui.

selo conteúdo original

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.