Indígenas produzem sandálias com látex da Amazônia e vendem pelo WhatsApp

Uma cooperativa informal de mulheres e homens indígenas encontrou uma maneira de aliar tecnologia e sustentabilidade para produzir sandálias orgânicas à base de látex extraído da Floresta Amazônica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As sandálias da marca Ararinha são comercializadas via internet, com pedidos feitos pelo WhatsApp e entregues pelos Correios para todo o país.

As mulheres produzem os calçados e os homens colhem o látex – com o cuidado de deixar descansar as seringueiras após três tiragens. Quinze indígenas trabalham na produção. Dois homens na retirada do látex e treze mulheres na produção”, contou a designer dos calçados Ararinha, Daosha Vaxā Shawā (Pássaro Alegre), 52, em entrevista ao portal SóNotíciaBoa.

Mulheres indígenas vendem sandálias látex Amazônia

100% natural

Os calçados são feitos com látex puro, tingidos com terra e urucum. O solado tem pó de madeira e o bordado é feito com linha de palha de buriti. “São tingidas naturalmente, com argila de diversas cores e frutos da floresta”, afirma Daosha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A designer garante que além da beleza das sandálias, elas são mais resistentes e confortáveis.

Mulheres indígenas vendem sandálias látex Amazônia

Confortáveis para os pés

“São extremamente mais confortáveis que os do mercado, porque a borracha ‘calça os pés’, ela se molda, não aperta e é extremamente leve. Eles parecem moldados diretamente nos pés, de tão bem ajustados… São de alta resistência, mais do que os calcados comuns, porque não descolam e não desbotam em contato com água”, garantiu.

A ideia de produzir as sandálias de látex surgiu há cerca de três anos, mas o processo de comercialização começou recentemente.

Mulheres indígenas vendem sandálias látex Amazônia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como tudo começou

“Após mulheres indígenas receberem uma capacitação de como transformar o látex em folha de borracha, (FSA), senti a necessidade de criar calçados com esse material, fazendo uma experiência que deu certo, e juntamente com meu companheiro Txada Shawã e mais duas lideranças da aldeia Shawã Nãba , Yuvanã Shawã e kumawã Shawā, decidimos dar continuidade, aperfeiçoando cada vez mais os calcados”, disse.

Cada par custa R$ 150, preço único tanto para os modelos masculino quanto feminino. “Começamos a vender recentemente. Temos ainda uma produção bem pequena de 40 sandálias por mês, mas que vão aumentar gradativamente conforme os pedidos. Em breve a produção vai estender aos indígenas da mesma etnia da aldeia Novo Acordo, que fica próxima”, afirmou Daosha.

Mulheres indígenas vendem sandálias látex Amazônia

Pedidos

Veja outros modelos na página da Ararinha no Facebook.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você também pode encomendar os calçados da marca Ararinha via WhatsApp: (11) 99910-7214.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: SNB/Fotos: Reprodução/Facebook Ararinha

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jogador se emociona e dedica troféu de craque ao pai já falecido: “Ele me deu tudo”

Nunca será mesmo apenas futebol. Neste domingo, 28, após uma série de polêmicas e brigas judiciais, foi realizada a partida entre Palmeiras e Flamengo...

Piauiense é a primeira enfermeira trans a possuir o nome social na carteira profissional

Daniele Ribeiro de Araújo, de 29 anos, nasceu em Guadalupe, a 345 km de Teresina, no Piauí. Formada em enfermagem e com pós-graduação em obstetrícia, ela...

Pequeno Beagle salva menina de 11 anos de ser sequestrada

Uma menina de 11 anos foi quase sequestrada na manhã deste último domingo, 21, em Pasadena, Estados Unidos, enquanto passeava com seu cachorro, segundo...

Maurício de Sousa suspende queima de fogos em sua chácara por respeito aos animais

Ontem publicamos que Campos de Jordão irá ter uma queima de fogos silenciosa (relembre aqui) e o criador da Turma da Mônica, Maurício de...

Após mais de ano internada, menina de 5 anos com leucemia realiza sonho de se formar na pré-escola

Kauana Rossetto Santos Trindade, de apenas 5 anos, foi diagnosticada com leucemia em 2014. A família de Ponte Serrada, no oeste catarinense, viu então sua caçula...

Instagram

Indígenas produzem sandálias com látex da Amazônia e vendem pelo WhatsApp 2